Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 15 de fevereiro de 2017. Atualizado às 09h34.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Mercado Financeiro

15/02/2017 - 10h37min. Alterada em 15/02 às 10h37min

Petróleo cai, após API estimar avanço nos estoques dos EUA e à espera do DoE

Os futuros de petróleo operam em baixa na manhã desta quarta-feira (15), revertendo ganhos de 0,5% a 0,7% da sessão anterior, após novos dados mostrarem que os estoques dos EUA continuam em expansão.
Às 10h17min (de Brasília), o Brent para abril caía 0,59% na IntercontinentalExchange (ICE), a US$ 55,64 por barril, enquanto o WTI para março recuava 0,64% na New York Mercantile Exchange (Nymex), a US$ 52,86 por barril.
Ontem à noite, O American Petroleum Institute (API) estimou que o volume de petróleo bruto estocado nos EUA cresceu 9,9 milhões de barris na última semana. Além disso, o API, que é uma associação de refinarias, apontou aumentou nos estoques de gasolina (700 mil barris) e de destilados (1,5 milhão de barris).
Mais tarde, às 13h30min (de Brasília), o Departamento de Energia (DoE, na sigla em inglês) norte-americano divulga números oficiais. Segundo analistas, a pesquisa do DoE deverá mostrar avanço de 2,9 milhões de barris nos estoques de petróleo bruto, mas reduções nos estoques de gasolina e de destilados.
Para o Commerzbank, a tendência de alta nos estoques dos EUA põe em dúvida os esforços da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) de reduzir sua produção.
No começo da semana, a Opep divulgou um corte de 890 mil barris por dia em sua produção de janeiro, equivalente a 90% da meta de redução estipulada em acordo fechado no fim do ano passado.
Investidores dos mercados de petróleo também devem acompanhar o segundo dia de depoimentos da presidente do Federal Reserve (Fed, o banco central dos EUA), Janet Yellen, no Congresso americano.
Ontem, Yellen disse que o Fed poderá considerar a possibilidade de voltar a elevar juros na reunião de política monetária de março.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia