Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 09 de fevereiro de 2017. Atualizado às 17h18.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

mercado financeiro

Alterada em 09/02 às 18h21min

Ouro fecha em baixa em Nova Iorque, pressionado por dólar forte

Os contratos futuros de ouro fecharam em baixa nesta quinta-feira (9), encerrando uma sequência de cinco dias de altas, nas quais os preços chegaram ao nível mais alto em cerca de 13 semanas. Hoje, o dólar mais forte pressionou o metal, bem como o maior apetite por risco no mercado acionário.
O ouro para abriu fechou em baixa de US$ 2,70 (-0,20%), a US$ 1.236,80 a onça-troy, na Comex, divisão de metais da New York Mercantile Exchange (Nymex). Na quarta-feira, o contrato havia atingido o nível mais alto desde 10 de novembro, segundo a FactSet.
O presidente do Libertas Wealth Management Group, Adam Koos, afirmou que boa parte da força recente do ouro nas últimas semanas se deve ao resultado da crença geral de que o rali nos mercados gerado pela eleição do presidente dos EUA, Donald Trump, teria ido "muito longe, muito rápido", o que abriria espaço para uma correção. Até agora em 2017, os futuros de ouro sobem mais de 7%.
Koos disse que as declarações de hoje sobre um anúncio em breve relativo a impostos impulsionou o apetite por ações, o que abriu espaço para realização de lucros no mercado de ouro, já que os preços subiram 10% desde o nível atingido em dezembro. O analista acredita, porém, que continuará a haver um grupo razoável de investidores interessados no ouro como ativo seguro diante de turbulências domésticas ou internacionais.
A trajetória da taxa de juros dos EUA também tem sido um fator importante para o ouro. Há a expectativa de elevação gradual dos juros pelo Federal Reserve (Fed, o banco central americano) neste ano. Nesta quinta-feira, o presidente do Fed de St. Louis, James Bullard, disse não ver motivo para subir muito a taxa. De qualquer forma, a expectativa é por um aperto gradual na política monetária. Taxas de juros mais altas podem impulsionar o dólar e diminuir a demanda pelas commodities, denominadas nesta moeda.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia