Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sexta-feira, 03 de fevereiro de 2017. Atualizado às 07h33.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Mercado Financeiro

Bolsas asiáticas fecham sem direção única, de olho em aperto monetário na China

As bolsas asiáticas fecharam sem direção única nesta sexta-feira (3), com os investidores mostrando apreensão com as políticas do presidente dos EUA, Donald Trump, e com uma sinalização de aperto monetário na China. Os negócios na região também foram marcados por cautela antes da divulgação de novos números do mercado de trabalho norte-americano.

Os mercados chineses retomaram os negócios hoje em tom negativo, após permanecerem fechados por uma semana devido ao feriado do ano novo lunar. O índice Xangai Composto recuou 0,60%, a 3.140,17 pontos, enquanto o menos abrangente Shenzhen Composto caiu 0,39%, a 1.909,79 pontos.

As perdas vieram após o Banco do Povo da China (PBoC) elevar as taxas de juros de sua linha de crédito permanente e dos acordos de recompra reversa (os chamados "repos"), sugerindo que Pequim adotou um viés de retirada de estímulos monetários.

Também foi divulgado pela Markit um índice de atividade industrial chinesa, que caiu a 51,0 em janeiro, de 51,9 em dezembro, mas apontou expansão da manufatura pelo sétimo mês consecutivo, ainda que em ritmo mais fraco.

Além disso, continuaram pesando incertezas relacionadas a políticas e comentários polêmicos de Trump.

"Todo o mundo está falando sobre isso...que os EUA podem estar se afastando da globalização", comentou Chris Weston, estrategista-chefe de mercado da IG.

Desde que assumiu o poder, no último dia 20, Trump retirou os EUA da Parceira Transpacífico (TPP), acordo de livre comércio que originalmente envolveria 12 países do Pacífico, e anunciou medidas para restringir a entrada de imigrantes e refugiados.

No Japão, o Nikkei ficou praticamente estável, com alta marginal de 0,02%, a 18.918,20 pontos, basicamente sustentado por bons balanços corporativos domésticos.

Em outras partes da Ásia, o índice Hang Seng caiu 0,24% em Hong Kong, a 23.129,21 pontos, enquanto o sul-coreano Kospi teve leve alta de 0,10% em Seul, a 2.073,16 pontos, o Taiex avançou 0,28% em Taiwan, a 9.455,56 pontos, e o filipino PSEi mostrou estabilidade, com ligeiro ganho de 0,01%, a 7.226.70 pontos.

Investidores da região asiática também exibiram cautela antes do relatório de emprego mensal dos EUA, que será divulgado no fim da manhã. O documento tem forte influência nas decisões de política monetária do Federal Reserve (Fed, o banco norte-americano), que nesta semana manteve seus juros básicos inalterados.

Na Oceania, a bolsa australiana foi pressionada por ações de mineradoras e de grandes bancos, e o índice S&P/ASX 200 terminou o dia em Sydney com queda de 0,4%, a 5.621,60 pontos.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia