Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, domingo, 26 de fevereiro de 2017. Atualizado às 21h01.

Jornal do Comércio

Jornal da Lei

COMENTAR | CORRIGIR

Entrevista

Notícia da edição impressa de 27/02/2017. Alterada em 24/02 às 17h47min

Trabalhador precisa estar atento aos depósitos do Fundo de Garantia

Jobim explica que tempo de prescrição para cobrar o Fundo de Garantia é de dois anos

Jobim explica que tempo de prescrição para cobrar o Fundo de Garantia é de dois anos


MARCO QUINTANA/JC
Laura Franco, especial
De acordo com o governo federal, 86% das contas inativas do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) possuem saldo inferior a um salário-mínimo, R$ 937,00. O valor suscita dúvidas, já que o Fundo de Garantia é de 8% sobre o salário. Ainda existem casos em que o trabalhador não tem acesso à conta, ou não identifica os pagamentos. Em entrevista ao Jornal da Lei, o advogado especialista em Direito do Trabalho Cássio Jobim explica o que fazer em casos de inexistência da conta, ou erros e ilegalidades cometidas pela empresa.
Jornal da Lei - O que o trabalhador deve fazer caso não exista a conta?
CONTINUE LENDO ESTA NOTÍCIA EM NOSSA EDIÇÃO PARA FOLHEAR
CLIQUE AQUI PARA ACESSAR
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia