Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 08 de março de 2017. Atualizado às 22h31.

Jornal do Comércio

JC Logística

COMENTAR | CORRIGIR

Navegação

Notícia da edição impressa de 09/03/2017. Alterada em 08/03 às 16h21min

Para Maersk, importação cresce pouco em 2017

Utilização de contêineres no comércio internacional depende da variação dos preços e, muitas vezes, armadores preferem as cargas a granel

Utilização de contêineres no comércio internacional depende da variação dos preços e, muitas vezes, armadores preferem as cargas a granel


INGO WAGNER/DPA /Divulgação/JC
Com crescimento ainda incerto do consumo interno, o nível das importações brasileiras por contêiner deve se manter próximo ao patamar de 2016, com algum crescimento no segundo semestre, que pode chegar a 1%. É o que aponta relatório bimestral da Maersk Line, maior empresa de transporte de contêineres do mundo.
De acordo com os dados da empresa, as importações reagiram fortemente no mês de dezembro, comparado a dezembro do ano anterior, com aumento de 13%. Já exportações caíram 4% no mesmo período. Entre as cargas que tiveram maior crescimento em dezembro estão as de algodão (216%), frutas e vegetais (54%) e têxteis e couros (39%).
CONTINUE LENDO ESTA NOTÍCIA EM NOSSA EDIÇÃO PARA FOLHEAR
CLIQUE AQUI PARA ACESSAR
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia