Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 01 de março de 2017. Atualizado às 20h22.

Jornal do Comércio

JC Logística

COMENTAR | CORRIGIR

Opinião

Notícia da edição impressa de 02/03/2017. Alterada em 01/03 às 19h35min

Uber e o vínculo de emprego com o motorista parceiro

Cíntia Fernandes
A integração das novas tecnologias no cotidiano e nas relações trabalhistas tem criado novos litígios. A Uber, desde seu início, tem instigado intensos debates, principalmente no tocante à sua legalidade. Superada a batalha a respeito da liberação do aplicativo, a empresa enfrenta, agora, novos conflitos perante a Justiça do Trabalho brasileira.
E o principal caso envolvendo motoristas e a empresa teve uma decisão no último dia 13 de fevereiro. O juiz Márcio Toledo Gonçalves, da 33ª Vara do Trabalho de Belo Horizonte (MG), reconheceu a existência de vínculo de emprego entre um motorista e a Uber do Brasil Tecnologia Ltda., após minuciosa análise de provas testemunhais e documentais, conforme é possível constatar na sentença de 46 laudas.
CONTINUE LENDO ESTA NOTÍCIA EM NOSSA EDIÇÃO PARA FOLHEAR
CLIQUE AQUI PARA ACESSAR
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia