Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 26 de janeiro de 2017. Atualizado às 17h15.

Jornal do Comércio

Política

COMENTAR | CORRIGIR

Câmara dos Deputados

Alterada em 26/01 às 18h18min

Líder do DEM já prevê vitória de Maia no primeiro turno

De acordo com Pauderney, Maia não oficializou sua candidatura ainda à espera do "melhor momento"

De acordo com Pauderney, Maia não oficializou sua candidatura ainda à espera do "melhor momento"


Antonio Cruz/ABR/Arquivo/JC
Líder da bancada do DEM na Câmara, o deputado Pauderney Avelino (AM) comemorou nesta quinta-feira, 26, a adesão oficial do PP e do PRB na campanha de reeleição de Rodrigo Maia (DEM-RJ) à presidência da Casa. Com oito partidos apoiando formalmente o atual presidente, Pauderney concluiu que há "franco favoritismo" de Maia na disputa e que ele caminha para vencer o pleito em primeiro turno.
"Acredito que dentro desse contexto há uma chance grande de se colocar a candidatura do presidente Rodrigo Maia e ele possa ser eleito já no primeiro turno", afirmou na tarde desta quinta. Nas contas dos aliados de Maia, o parlamentar já teria mais da metade dos votos da Casa, o que eliminaria a realização de um segundo turno.
De acordo com Pauderney, Maia não oficializou sua candidatura ainda à espera do "melhor momento". O lançamento da candidatura de Maia deve acontecer entre segunda e terça-feira, véspera da eleição na Câmara.
Pauderney afirmou que Maia vem conduzindo "um trabalho exemplar" no comando da Câmara e lembrou que, durante sua gestão, o clima entre os partidos na Casa foi apaziguado. Para o líder do DEM, Maia é a garantia de uma presidência "tranquila" para o País. "Tenho certeza que não teremos surpresa nestes próximos dois anos e não teremos qualquer susto", disse.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia