Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sábado, 21 de janeiro de 2017. Atualizado às 18h13.

Jornal do Comércio

Política

COMENTAR | CORRIGIR

STF

21/01/2017 - 14h51min. Alterada em 21/01 às 19h17min

Temer diz que só vai indicar substituto de Teori após definição de relator da Operação Lava Jato

Velório do ministro do STF Teori Zavaski no plenário do TRF4, em Porto Alegre no dia 21 de janeiro de 2017

Velório do ministro do STF Teori Zavaski no plenário do TRF4, em Porto Alegre no dia 21 de janeiro de 2017


JULIO CAVALHEIRO/SECOM/SC/DIVULGAÇÃO/JC
O presidente Michel Temer afirmou na tarde deste sábado (21) que só vai indicar o substituto de Teori Zavascki no Supremo Tribunal Federal (STF) "após a indicação de um novo relator". Caberá à presidente do STF, ministra Cármen Lúcia, redistribuir o processo da Operação Lava Jato, que Teori relatava.
A declaração de Temer foi dada em Porto Alegre, durante o velório de Teori Zavascki, que ocorre na sede do tribunal Regional federal da 4ª Região (TRF-4). O presidente registrou seu pesar pessoal e de todo o governo pela morte de Teori e disse que se trata "de uma perda lamentável para o País, o poder judiciário e a classe jurídica".
"Ele era um homem de bem. O Brasil precisa cada vez mais de homens com a competência moral e profissional de Teori", acrescentou Temer.
O ministro das Relações Exteriores, José Serra, também fez um breve pronunciamento, lembrando que tinha uma boa relação com Teori, com quem se reuniu diversas vezes para discutir questões relacionadas ao processo legislativo. "Foi um exemplo em todas as funções que ocupou".
Temer viajou para Porto Alegre acompanhado do presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM), do ministro da Justiça, Alexandre de Moraes, e do ministro das Relações Exteriores, José Serra. Ele chegou no velório na companhia do governador do Rio Grande do Sul, Ivo Sartori (PMDB).
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia