Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 19 de janeiro de 2017. Atualizado às 20h49.

Jornal do Comércio

Política

COMENTAR | CORRIGIR

Tranporte

Alterada em 19/01 às 21h49min

Senador leva demanda a Temer e consegue encontro de caminhoneiros com Padilha

Lideranças dos caminhoneiros esperam se reunir na próxima semana com representantes da agronegócio para tentar um acordo sobre os valores de frete a serem aplicados neste início da safra brasileira de grãos. O encontro, ainda sem data definida, está sendo articulado pelo senador José Medeiros (PSD-MT), que vem intermediando as conversas. Hoje, Medeiros esteve com o presidente Michel Temer, em Brasília, e conseguiu que o ministro da Casa Civil, Eliseu Padilha, receba representantes da categoria.
O senador disse esperar que a negociação com o setor privado avance enquanto tramita na Comissão de Constituição e Justiça da Câmara dos Deputados o projeto de lei (PL) 528/2015, de autoria do deputado Assis do Couto (PT-PR), que cria uma política de preços mínimos do transporte rodoviário de cargas. Medeiros contou ao Broadcast Agro, serviço de notícias em tempo real do Grupo Estado, ter convidado para a conversa, além de tradings, também a Associação Brasileira Indústrias Óleos Vegetais (Abiove) e a Associação Brasileira do Agronegócio (Abag). Procurada, a Abiove afirmou, por meio de sua assessoria, não ter "agenda com os caminhoneiros". "Os preços são determinados livremente pelo mercado, pelas condições de oferta e demanda. Cada empresa determina a sua política de fretes de forma livre e individual. Não cabe à Abiove conversar sobre preços de frete."
No mercado, há relatos de que exportadores teriam sinalizado disposição de elevar o valor pago pelo frete quando crescer a movimentação da safra de grãos, em fase inicial de colheita. No início da semana caminhoneiros interromperam o fluxo de caminhões em estradas brasileiras, em especial de Mato Grosso, para chamar a atenção dos custos do transporte. Além de uma tabela de preços mínimos para o frete, a categoria pede mais fiscalização pela Agência Nacional de Transportes Terrestre (ANTT) e Receita Federal e argumenta que parte da receita do frete fica com atravessadores.
Medeiros disse que, no encontro com o presidente Temer, pediu que a base do governo se empenhe na discussão no Congresso. "O presidente entendeu a relevância da situação e concordou em um encontro do governo com os caminhoneiros em Brasília na semana que vem", relatou. Ao lado de Medeiros, o presidente Temer gravou uma mensagem em vídeo à categoria, prometendo empenho do governo federal na solução do impasse. "Designei o ministro Eliseu Padilha para ter uma conversa com o senador Medeiros e quem mais ele julgue importante participar para nos inteirarmos deste assunto e verificar se o governo tem condições de fazer alguma coisa", diz Temer na gravação. Medeiros disse que a questão "é complexa, de mercado". "Por isso foi passada para a equipe técnica do ministro Padilha", explicou, afirmando que o governo entende ser esta uma questão "sensível".
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia