Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 17 de janeiro de 2017. Atualizado às 21h34.

Jornal do Comércio

Opinião

COMENTAR | CORRIGIR

Editorial

Notícia da edição impressa de 18/01/2017. Alterada em 17/01 às 22h33min

A concorrência e as mudanças no serviço de táxi

Atividade indispensável para qualquer município com vida urbana, o serviço de táxis talvez esteja passando pela sua maior transformação desde que foi criado, a partir da inserção de aplicativos de empresas estrangeiras como Uber e Cabify, que chegaram ao Brasil nos últimos anos.
Antes disso, a atividade viveu seu ápice. Nos primeiros anos desta década, com o consumo em alta, o País crescendo e a população economicamente ativa empregada, o uso de táxis aumentou consideravelmente, garantindo renda razoável aos profissionais, além de valorizar "o preço das placas" - a licença para realizar o serviço.
CONTINUE LENDO ESTA NOTÍCIA EM NOSSA EDIÇÃO PARA FOLHEAR
CLIQUE AQUI PARA ACESSAR
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia