Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sexta-feira, 27 de janeiro de 2017. Atualizado às 10h35.

Jornal do Comércio

Internacional

COMENTAR | CORRIGIR

Estados Unidos

26/01/2017 - 18h14min. Alterada em 26/01 às 18h14min

Trump diz que EUA irão reduzir impostos para classe média e para as empresas

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, discursou em um evento do Partido Republicano na Filadélfia e afirmou que pretende reduzir as regulações em grande escala. "Reduziremos impostos para a classe média e para todas as empresas", disse o republicano.
Trump também afirmou que irá buscar "acordos bilaterais que protejam e defendam o trabalhador americano". O republicano também aproveitou a ocasião para criticar o Nafta e dizer que o México irá pagar pelo muro que será construído na fronteira sul dos EUA. "Precisamos reconstruir o país com produtos americanos e trabalho americano", disse o presidente americano. Segundo ele, os EUA merecem ter a melhor infraestrutura do mundo.
No início do discurso, Trump agradeceu o líder republicano no Senado, Mitch McConnell, e o presidente da Câmara, Paul Ryan, dizendo que o trabalho dos três e de todo o Congresso americano era o de levar o poder de volta ao povo e tirá-lo de Washington. O bilionário também citou, brevemente, as eleições, dizendo que irá defender os votos dos cidadãos americanos e agradecendo a Filadélfia por sua vitória na Pensilvânia, que era considerado um reduto democrata.
Trump aproveitou o discurso para criticar Chicago. O presidente americano já havia comentado sobre os problemas de segurança da cidade em seu perfil no Twitter e, na Filadélfia, disse que "muitas famílias não estão se sentindo seguras". Chicago é comandada pelo Partido Democrata.
O presidente americano também fez críticas à imprensa americana. "Não há nada justo sobre a mídia. Quando há protestos, a mídia diz que muitas pessoas compareceram. Quando fazemos eventos, a mídia diz que poucos compareceram", afirmou.
Trump citou companhias aeroespaciais, como Boeing e Lockheed Martin, e montadoras, como General Motors e Fiat Chrysler, dizendo que elas fazem parte da recuperação da economia americana.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
joao carlos 26/01/2017 19h10min
O Brasil precisa de um Trump!!!nAlguem que fale a verdade sem se importar com a mídia comunista. Que represente as pessoas de bem, que estão com nojo deste sistema que só defende bandido, aborto, imoralidade, e tudo o que não presta.