Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 25 de janeiro de 2017. Atualizado às 23h00.

Jornal do Comércio

Geral

COMENTAR | CORRIGIR

Transporte público

Notícia da edição impressa de 26/01/2017. Alterada em 25/01 às 21h28min

Negociação sobre dissídio dos rodoviários não avança

A segunda reunião entre o Sindicato dos Rodoviários de Porto Alegre e o Sindicato das Empresas de Ônibus não trouxe avanços para a questão do reajuste do dissídio dos motoristas e dos cobradores da Capital. A patronal ofereceu reajustar a inflação em duas parcelas, uma a ser paga em fevereiro, e a outra, em junho. A proposta não foi aceita pelos rodoviários.
A categoria pede a reposição integral da inflação, sem parcelamento, e um aumento real de 3,5%, além de um vale-refeição de R$ 29,00. Atualmente, o piso dos motoristas é de R$ 2.750,00, e o dos cobradores, R$ 1.650,00.
CONTINUE LENDO ESTA NOTÍCIA EM NOSSA EDIÇÃO PARA FOLHEAR
CLIQUE AQUI PARA ACESSAR
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia