Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 25 de janeiro de 2017. Atualizado às 23h00.

Jornal do Comércio

Geral

COMENTAR | CORRIGIR
Notícia da edição impressa de 26/01/2017. Alterada em 25/01 às 21h31min

Conselho de Política Penitenciária faz renúncia coletiva

O presidente e outros seis integrantes do Conselho Nacional de Política Criminal e Penitenciária (Cnpcp) entregaram ontem uma carta de demissão do órgão, vinculado ao Ministério da Justiça. A demissão coletiva é uma retaliação às ações do ministro Alexandre de Moraes.
Os conselheiros são contrários à falta de diálogo entre o Ministério da Justiça e o Cnpcp, ao reforço da política de armamento e ao lançamento de um Plano Nacional de Segurança Pública sem debate com a sociedade ou consulta às pesquisas do órgão, que já havia elaborado um plano em 2015. O agravamento da crise prisional foi definitivo para a renúncia dos conselheiros, que afirmam que os projetos e estudos em curso foram ignorados pela gestão de Moraes.
CONTINUE LENDO ESTA NOTÍCIA EM NOSSA EDIÇÃO PARA FOLHEAR
CLIQUE AQUI PARA ACESSAR
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia