Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 18 de janeiro de 2017. Atualizado às 15h54.

Jornal do Comércio

Geral

COMENTAR | CORRIGIR

porto alegre

18/01/2017 - 16h51min. Alterada em 18/01 às 16h57min

Jardim Botânico é invadido em tentativa de libertar cobras de serpentário

Porta do serpentário foi forçada, e tijolos foram arremessados em tentativa de soltar as cobras

Porta do serpentário foi forçada, e tijolos foram arremessados em tentativa de soltar as cobras


FZB/Divulgação/JC
O serpentário do Museu de Ciências Naturais da Fundação Zoobotânica do Rio Grande do Sul (FZB) sofre uma tentativa de invasão na madrugada desta quarta-feira (18), em uma tentativa de, conforme a FZB, liberar as cobras. A ação ocorreu durante a madrugada, mas nenhum dos animais foi solto.
Os invasores não conseguiram acessar o serpentário, mas abriram a porta de vidro do local, forçando as dobradiças, sem conseguir passar da porta gradeada. Ainda assim, pela abertura feita na porta de vidro, os invasores arremessaram pedras e tijolos em direção aos terrários em que estão as cobras, incluindo uma cascavel, altamente perigosa e peçonhenta, e outro com uma píton.
De acordo com o presidente da FZB, Luiz Fernando de Oliveira Branco, o caso foi premeditado - já que os tijolos com seis furos arremessados e encontrados no serpentário não existem no Jardim Botânico - pode ter sido um "recado" de pessoas contrárias à extinção da fundação. Os vigilantes armados da empresa terceirizada responsável pela segurança não viram a ação. A ocorrência será registrada na Delegacia de Polícia de Proteção ao Meio Ambiente para que seja marcada a perícia.
As cobras serão removidas e o serpentário, antes aberto à visitação pública, está fechado, sem previsão de retornar suas atividades normais. Ao todo, 330 cobras pertencem ao serpentário da FZB, incluindo as que não estavam disponíveis para visitação. 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia