Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 03 de janeiro de 2017. Atualizado às 13h44.

Jornal do Comércio

Geral

COMENTAR | CORRIGIR

segurança pública

03/01/2017 - 14h46min. Alterada em 03/01 às 14h47min

Sinpol-RS garante adesão à paralisação da Polícia Civil gaúcha

A paralisação dos policiais civis do Estado, deflagrada nesta segunda-feira (2), tem boa adesão da categoria nesta terça, segundo o presidente do Sindicato dos Servidores da Polícia Civil do Rio Grande do Sul (Sinpol-RS), Emerson Lopes Ayres. Em entrevista ao Jornal do Comércio, Ayres confirmou que lideranças do sindicato têm visitado diversas delegacias e confirmado uma "movimentação significativa da categoria".
Segundo ele, o movimento de adesão tem sido natural, devido à indignação e ao descontentamento já constatados entre os policiais. Ele ainda aponta que a paralisação das atividades - que mantém somente o percentual de 30% dos serviços para atendimento de casos graves, como crimes e atentados contra a vida e contra mulheres, idosos, crianças e adolescentes - não tem data para acabar.
Ainda assim, não há números sobre a adesão ao movimento, visto que o período de férias prejudica um levantamento mais apurado. A paralisação tem como objetivo protestar contra o atraso dos salários e o parcelamento do 13º feitos pelo governador José Ivo Sartori. O Sinpol-RS afirmou que vai aguardar o desenrolar do movimento para decidir se organiza um ação de protesto contra o governo do Estado.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia