Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 26 de janeiro de 2017. Atualizado às 18h35.

Jornal do Comércio

Esportes

COMENTAR | CORRIGIR

Basquete

26/01/2017 - 19h28min. Alterada em 26/01 às 19h38min

Fiba agenda reunião para tentar salvar o basquete brasileiro

A CBB foi suspensa em novembro do ano passado pela Fiba por falhar em sua administração

A CBB foi suspensa em novembro do ano passado pela Fiba por falhar em sua administração


BULENT KILIC/AFP/JC
A Federação Internacional de Basquete (Fiba) mudou de estratégia em relação ao basquete brasileiro. Após acenar com uma força-tarefa com Comitê Olímpico do Brasil (COB) e Ministério do Esporte para resolver os problemas do esporte no País, a entidade convidou os principais dirigentes da modalidade para uma reunião no dia 3 de fevereiro, na Suíça.
Foram convidados o presidente da Confederação Brasileira de Basquete (CBB), Carlos Nunes, os dois candidatos à eleição da CBB em março, Amarildo Rosa e Guy Peixoto, Gerasime Bozikis, antecessor de Carlos Nunes, além de João Fernando Rossi e Kouros Monadjemi, presidente e vice da Liga Nacional de Basquete (LNB), respectivamente.
A Fiba incluiu no processo pela primeira vez os dirigentes da LNB, responsáveis pela organização do Novo Basquete Brasil (NBB). Recentemente, Kouros esteve reunido com os membros da Fiba, no México. A ausência da LNB, que é considerada um exemplo de administração, na discussão sempre foi bastante questionada.
O presidente da CBB, Carlos Nunes, confirmou ao Estado de S. Paulo que vai participar da reunião e que a Fiba vai arcar com os custos de hospedagem. As passagens aéreas serão pagas pelos dirigentes. "Pedi inclusive para participar de uma reunião amanhã (sexta-feira), mas agora teremos o encontro no dia 3", afirmou o dirigente.
A reunião, segundo o ofício enviado aos dirigentes, é para tentar salvar o basquete brasileiro. A CBB foi suspensa em novembro do ano passado pela Fiba por falhar em diversos aspectos em sua administração. A punição termina no próximo sábado, 28 de janeiro, seis antes do encontro.
Paulinho Villas Boas, que já trabalhou no COB e no Comitê Organizador dos Jogos do Rio-2016, também foi convidado, assim como Horácio Muratore e Alberto Garcia, presidente e secretário-geral da Fiba Américas, respectivamente. Nomeado interventor da CBB, o espanhol Jose Luiz Saez estará presente, assim como o secretário-geral da Fiba, Patrick Baumann.
Antes da reunião decisiva para o basquete brasileiro, o Conselho Executivo da Fiba irá se reunir nesta sexta-feira. Com o encontro agendado para o dia 3 de fevereiro, o futuro do Brasil não deve ser discutido.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia