Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 25 de janeiro de 2017. Atualizado às 23h00.

Jornal do Comércio

Esportes

COMENTAR | CORRIGIR

Inter

Notícia da edição impressa de 26/01/2017. Alterada em 25/01 às 23h49min

Com carências no ataque, direção do Inter vai atrás de Carlos, do Atlético-MG

Ainda que a direção do Inter siga em busca da contratação de Marcelo Cirino, antigo sonho do clube, outro nome surgiu como possível reforço para o ataque. Alvo do Vitória da Bahia, Carlos, do Atlético-MG, foi sondado para defender o Colorado na Série B do Campeonato Brasileiro. O representante do jogador é o empresário gaúcho Jorge Machado, que já tem outros negócios com o Inter, o que poderia, de certa forma, facilitar o empréstimo.
Com a forte concorrência por uma vaga no ataque do Galo, Carlos não vem recebendo muitas oportunidades no time de Roger Machado. Para atuar em Minas Gerais neste ano, o atacante de 21 anos terá que se destacar em meio a nomes como Fred, Lucas Pratto, Robinho, Cazares, Maicosuel e Luan. Em 2016, Carlos marcou cinco gols em 21 partidas disputadas.
Ainda se planejando para um ano atípico, no qual terá a disputa da segunda divisão pela frente, a direção planeja o orçamento para a temporada. No documento apresentado pela antiga gestão, em dezembro, a previsão de arrecadação bruta era de R$ 332 milhões. Agora, o Colorado ajusta detalhes com receitas menores e despesas também reduzidas. O novo valor ficaria na casa dos R$ 280 milhões.
Um dos pontos que será modificado diz respeito à venda de atletas. No orçamento datado de 9 de novembro, apresentado no mês seguinte, o Inter previa arrecadação de R$ 60 milhões com a negociação de direitos econômicos de seus atletas. O valor será reajustado.
O novo documento também vai diminuir o valor previsto para o futebol. Na peça da antiga gestão, eram R$ 171.106.000,00 destinados ao departamento de futebol ao longo de 2017. O valor engloba direitos de imagem, despesas com pessoal e benefícios, empréstimo e amortização de atletas, logística, serviços de terceiros e de apoio, material de consumo, gratificação de atletas e obrigações legais.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia