Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 16 de janeiro de 2017. Atualizado às 16h49.

Jornal do Comércio

Esportes

COMENTAR | CORRIGIR

gente

16/01/2017 - 17h50min. Alterada em 16/01 às 17h51min

Após 36 horas desaparecido, técnico do Atlético-GO reaparece e some novamente

O técnico do Atlético-GO, Marcelo Cabo, reapareceu brevemente em seu apartamento neste domingo. Atual campeão da Série B do Campeonato Brasileiro, ele esteve desaparecido desde às 3h02min de domingo até às 15h48min desta segunda-feira, quando retornou ao apartamento onde mora, em Goiânia, antes de "sumir" novamente.
Após o sumiço, Marcelo teria chegado ao local onde mora em um táxi e permaneceu por cerca de sete minutos. No entanto, sem qualquer explicação, deixou o prédio no mesmo veículo em que chegou. O técnico ainda não se manifestou sobre o motivo e as circunstâncias do desaparecimento.
"Aquela linha de investigação de que poderia ser homicídio ou latrocínio está descartada. Ele não veio no carro dele, não significa que não pode ter havido crime. Ele pode estar sendo obrigado a fazer alguma coisa. A polícia está verificando agora se houve saque na conta dele, se levaram alguma coisa, mas aquela linha inicial de investigação está descartada. Graças a deus, ele está vivo", explicou o coronel da Polícia Militar Wellington de Urzeda Mota, que também é conselheiro do Atlético-GO, à Rádio 730 AM.
O policial também falou sobre o breve contato de Marcelo com aqueles que o viram adentrar seu prédio. "O pessoal que teve contato visual com ele, o abraçou, verificou que ele não tinha hematomas aparentes, nem sujeira no corpo, na roupa, ou qualquer mancha de sangue. Então, estava aparentemente normal."
O clube expôs a situação no início da tarde, após reiteradas tentativas de manter contato com o profissional, que havia participado de uma reunião com amigos após o amistoso do Atlético-GO contra o Gama, na noite de sábado, em Goiânia.
Por volta das 2h20min de domingo, ele chegou em casa e teria conversado por telefone com um de seus filhos. Às 3h02min, as câmeras de segurança do prédio onde mora registraram a saída de Marcelo. Ele deixou o local em seu carro, um Fiat Palio, que estava na frente do edifício e não na garagem.
"O Marcelo Cabo tem uma vida tranquila, não é da noite. Ele é muito discreto e não tem histórico de situação como esta. Isto nos intriga", destacou o coronel da Polícia Militar Wellington de Urzeda Mota, que também é conselheiro do Atlético-GO.
O Atlético chegou a registrar o desaparecimento do técnico na Delegacia de Investigações Criminais (Deic). A Polícia Civil instaurou inquérito para apurar o caso e o delegado Kleyton Manoel Dias concedeu entrevista sobre o início das investigações, destacando que todas as linhas de investigações estavam abertas.
Marcelo Cabo foi contratado pelo Atlético-GO em maio do ano passado. O técnico foi o responsável pela campanha surpreendente do clube goiano na Série B do Campeonato Brasileiro, em que o time rubro-negro garantiu o título e o acesso à elite do Brasileiro com 76 pontos em 38 jogos.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia