Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 30 de janeiro de 2017. Atualizado às 09h35.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Mercado Financeiro

30/01/2017 - 10h38min. Alterada em 30/01 às 10h38min

Dólar à vista abre instável sob pressão do fechamento da Ptax

O dólar mostra instabilidade no mercado à vista na manhã desta segunda-feira (30), sob pressão do início da disputa técnica em torno da formação da última ptax de janeiro, que será definida na terça-feira, 31. Com o volume de negócios ainda baixo, a moeda no balcão abriu em queda, subiu em seguida, mas voltou a recuar novamente.
No mercado futuro, por outro lado, o dólar fevereiro seguia em alta, após começar o dia em baixa. Neste caso, o sinal está alinhado ao viés externo positivo do dólar ante divisas principais (euro e libra) e algumas emergentes, como o dólar australiano, o dólar canadense, o dólar neozelandês, rublo russo e o rand sul africano.
Por volta das 10 horas, o dólar à vista no balcão recuava 0,11%, negociado a R$ 3,1458, enquanto, no mercado futuro, o dólar para fevereiro tinha valorização de 0,08, cotado a R$ 3,1470.
Internamente, a chegada de Eike Batista, no período da manhã, ao Rio de Janeiro, traz certa apreensão sobre um possível acordo de delação premiada. Ainda em Nova Iorque, antes de partir para o Brasil, o empresário afirmou que "está na hora de ajudar a passar as coisas a limpo". Ele será preso assim que desembarcar, no Galeão, segundo a Polícia Federal.
Também pela manhã, o Supremo Tribunal Federal (STF) confirmou que a presidente da Corte, Cármen Lúcia, homologou as delações premiadas dos 77 executivos e ex-executivos da Odebrecht no âmbito da Operação Lava Jato.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia