Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sexta-feira, 27 de janeiro de 2017. Atualizado às 18h25.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Mercado Financeiro

Alterada em 27/01 às 19h27min

Dólar cai ao menor nível em três meses com exterior e fluxo positivo

Cotação da moeda ficou em R$ 3,1494 (-0,83%)

Cotação da moeda ficou em R$ 3,1494 (-0,83%)


marcello Casal Jr./ABR/JC
O dólar terminou a sessão desta sexta-feira (27), no menor nível em três meses, cotado a R$ 3,1494 (-0,83%). Alinhado a movimentos em outros mercados emergentes, o recuo da divisa norte-americana foi direcionado pela busca por ativos de risco - e maior rendimento - após o resultado decepcionante do Produto Interno Bruto (PIB) dos Estados Unidos no quarto trimestre de 2016.
A primeira estimativa do PIB norte-americano frustrou os investidores, ao mostrar uma expansão anualizada de 1,9%, abaixo da previsão dos analistas de um avanço de 2,2%. Também ficou bem inferior ao resultado do terceiro trimestre, de alta de 3,5%. Diante dos números, aumentaram os questionamentos sobre o ritmo de aperto monetário por lá e cresceram as expectativas de migração de recursos para países emergentes, que oferecem rentabilidades mais atrativas, como o Brasil.
Na mínima, o dólar à vista recuou a R$ 3,1467 (-0,91%), menor valor intraday desde os R$ 3,1283 registrados durante a sessão do dia 27 de outubro de 2016. De acordo com dados registrados na clearing da BM&FBovespa, o volume de negócios somou US$ 1,558 bilhão.
O dólar futuro para fevereiro, por sua vez, encerrou aos R$ 3,1445, em queda de 1,18%, após recuar à mínima de R$ 3,1415 (-1,27%). O volume de negócios somou US$ 12,510 bilhões.
Domesticamente, a entrada de recursos no País tem sido determinante para queda do dólar frente ao real. Estão no radar possíveis lançamentos de captações externas da Braskem, Cemig, Vale e Gerdau, segundo fontes.
Ontem, depois da operação externa de US$ 750 milhões fechada por Embraer na quarta-feira, a Rumo Logística anunciou que pretende realizar uma captação em dólar, também de acordo com fontes ouvidas pelo Broadcast, serviço de notícias em tempo real do Grupo Estado. A companhia fará a partir da próxima segunda-feira, dia 30, apresentação aos investidores, mas a oferta da Rumo em si dependerá de condições de mercado.
Além disso, o Banco Central segue com seus leilões swap cambial tradicional. O Banco Central informou nesta sexta-feira, por meio de comunicado, que fará na segunda-feira (30) leilão de até 14.000 contratos (US$ 700 milhões). Com esta operação, o BC finaliza a rolagem do volume de 128.620 contratos (US$ 6,431 bilhões) de swap cambial tradicional que estão para vencer em 1º de fevereiro.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia