Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sexta-feira, 27 de janeiro de 2017. Atualizado às 09h50.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Mercado Financeiro

Petróleo recua com cautela antes dos dados da Baker Hughes e alta do dólar

Os preços futuros do petróleo operam em queda nesta sexta-feira (27), com os investidores pessimistas com o aumento da produção dos EUA em meio à cautela antes do dado sobre o número de poços e plataformas no país, que na semana passada teve forte avanço. Além disso, o dólar mais forte entre as principais moeda pesa na negociação.

Às 10h20min (de Brasília), o petróleo tipo Brent para abril, que já é o mais líquido, recuava 0,96% na IntercontinentalExchange (ICE), a US$ 55,95 por barril, enquanto o WTI para março perdia 0,67% na New York Mercantile Exchange (Nymex), a US$ 53,42 por barril. O petróleo tipo Brent para março, que vence na terça-feira, recuava 1,00%, a US$ 55,68.

Os investidores aguardam dados de contagem de poços e plataformas nos EUA, que será divulgada pela Baker Hughes às 16h (de Brasília). Relatórios anteriores mostraram que o número de plataformas ativas tem aumentado constantemente desde o verão passado, indicando que a produção norte-americana está em alta.

"Na semana passada, a contagem de plataformas norte-americanas teve um aumento muito maior do que o esperado [de 29], e os dados de hoje são um risco para o fim de semana, uma vez que outro avanço significativo poderá ter um impacto negativo no início da próxima semana", disse Olivier Jakob, analista da Petromatrix.

"Por um lado vemos sinais de corte na produção da Opep [Organização dos Países Exportadores de Petróleo] e isso é favorável aos preços do petróleo", disse Hans van Cleef, analista do ABN Amro. "Por outro lado, o preço mais alto do petróleo está gerando impacto sobre a produção de petróleo dos EUA - como tem mostrado o aumento na contagem da plataformas e o avanço nos níveis de produção de petróleo", acrescentou.

Outro fator que tem pesado sobre os preços é o fortalecimento do dólar, que subiu cerca de 4% desde as eleições americanas. Como o preço do petróleo é negociado dólares, a commodity torna-se mais cara para os detentores de outras moedas quando o dólar sobe.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia