Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 25 de janeiro de 2017. Atualizado às 19h40.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Mercado Financeiro

Alterada em 25/01 às 20h42min

Bolsas de Nova Iorque fecham em alta e Dow Jones ultrapassa a barreira dos 20 mil pontos

As bolsas de valores dos Estados Unidos fecharam em alta, nesta quarta-feira (25), com o índice Dow Jones encerrando acima da barreira psicológica dos 20 mil pontos pela primeira vez na história, enquanto um rali das ações bancários refletiam a crescente confiança dos investidores de que o presidente Donald Trump deve governar uma nova era de crescimento da maior economia do planeta.
O índice Dow Jones fechou em alta de 0,78%, aos 20.068,51 pontos; o S&P 500 subiu 0,80%, para 2.298,37 pontos; e o Nasdaq ganhou 0,99%, encerrando aos 5.656,34 pontos.
Os movimentos de Trump para cortar a regulamentação e promover projetos de infraestrutura durante sua primeira semana no gabinete ajudaram a impulsionar os índices de ações, ao passo em que os investidores apostam que o republicano deve prosseguir com seus planos amigáveis aos negócios.
Aplausos, gritos e saudações foram ouvidos na bolsa enquanto o mercado fechava em Wall Street. Levou 42 dias de negociações para que a Dow fechasse acima dos 20 mil pontos - o segundo ganho de mil pontos mais rápido na história do índice, após uma escalada de 24 dias de 10 mil para 11 mil pontos durante a bolha da internet, em 1999. A primeira vez que o Dow ultrapassou os 19 mil pontos foi em 22 de novembro, em meio ao rali observado na esteira da eleição presidencial.
Mesmo que os índices tenham disparado para patamares sem precedentes, muitos investidores pedem cautela. As taxas de juros dos EUA ainda estão relativamente baixas, refletindo a lentidão do crescimento econômico. A volatilidade diminuiu e as ações estão caras se comparadas com os níveis históricos: três sinais de que alguns investidores podem anunciar uma retirada.
Entres os setores que mais se destacaram nesta quarta-feira, está o financeiro, que vem registrando sucessivas altas desde a vitória de Trump na eleição de novembro. Nesta quarta, os investidores observaram o anúncio de medidas do presidente.
O novo governo vem sinalizando que vai cumprir com as promessas de campanha, o que gerou apetite pelo risco nos mercados. No terreno negativo, o Goldman Sachs viu suas ações subirem 1,53%; o JP Morgan ganhou 1,55% e o Bank of America subiu 1,83%.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia