Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 24 de janeiro de 2017. Atualizado às 19h13.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Empresas

Alterada em 24/01 às 20h14min

Petrobras confirma que subsidiárias foram citadas em ação judicial na Holanda

A Petrobras confirmou nesta terça-feira (24), que suas subsidiárias Petrobras International Braspetro e Petrobras Global Finance foram citadas em ação judicial proposta pela Stichting Petrobras Compensation Foundation, perante a Corte de Roterdã, na Holanda, conforme noticiado mais cedo.
A ação foi movida por investidores institucionais que afirmaram ter perdido bilhões de dólares em depreciações significativas de ativos e declínios acentuados nos preços das ações da Petrobras como resultado do escândalo de corrupção na estatal brasileira. A coalizão representa investidores que compraram ativos da companhia no Brasil e em outros lugares e que não estão cobertos pelo litígio na Justiça dos Estados Unidos.
"A Petrobras ainda não foi citada para apresentar defesa, mas informa que adotará todas as medidas necessárias em prol dos seus interesses e de seus investidores", diz a empresa.
De acordo com a estatal, as autoridades públicas que conduzem as investigações da Operação Lava Jato e o Supremo Tribunal Federal reconhecem que a Petrobras é vítima dos fatos revelados por esta investigação. "Como resultado, a companhia já recebeu cerca de R$ 660 milhões recuperados pelas autoridades brasileiras, provenientes de companhias e indivíduos envolvidos em práticas criminosas, que prejudicaram a Petrobras", salienta.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia