Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 23 de janeiro de 2017. Atualizado às 21h48.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

conjuntura

Notícia da edição impressa de 24/01/2017. Alterada em 23/01 às 20h50min

Cenário segue pressionando intenção de consumo dos gaúchos

Baixa confiança no mercado de trabalho reduz ímpeto de comprar

Baixa confiança no mercado de trabalho reduz ímpeto de comprar


JONATHAN HECKLER/JC
A primeira pesquisa do ano revela que a intenção de consumo das famílias gaúchas caiu 15,4% (aos 62,0 pontos) em janeiro na comparação com o mesmo período do ano passado, e recuou 4,4% no confronto com dezembro passado. Os dados são da pesquisa Intenção de Consumo das Famílias (ICF), divulgada ontem pela Fecomércio-RS.
"Ainda que se espere que 2017 seja melhor do que 2016, o mercado de trabalho, principal elemento a determinar a intenção de consumo das famílias, não apresentou sinais de retomada, por isso, a intenção de consumo está caindo", destaca o presidente da Fecomércio-RS, Luiz Carlos Bohn. O dirigente afirma que há outros fatores macroeconômicos que também prejudicam a intenção de consumo das famílias como os juros nominais, que apesar da queda recente, permanecem muito altos.
CONTINUE LENDO ESTA NOTÍCIA EM NOSSA EDIÇÃO PARA FOLHEAR
CLIQUE AQUI PARA ACESSAR
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia