Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 23 de janeiro de 2017. Atualizado às 21h48.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Conjuntura Internacional

Notícia da edição impressa de 24/01/2017. Alterada em 23/01 às 21h06min

Críticas ao 'outsourcing' preocupam empresas do setor

Líderes de companhias norte-americanas com operações no exterior começam a demonstrar preocupação com a retórica do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump. Nas últimas semanas, Trump tem criticado nominalmente algumas empresas por planejarem mover parte de sua capacidade produtiva para fora, entre elas a Ford, a United Technologies e a General Motors.
Os ataques reverberam sobre empresas que seguiram a tendência do "outsourcing", a transferência ou terceirização da produção e de serviços de tecnologia da informação para países como Índia, China e Filipinas. Algumas delas já procuram alternativas nos EUA, ao passo que provedores de produtos fabricados no exterior focam na automação como uma forma de custo efetivo para trazer a produção - não necessariamente os empregos - de volta.
CONTINUE LENDO ESTA NOTÍCIA EM NOSSA EDIÇÃO PARA FOLHEAR
CLIQUE AQUI PARA ACESSAR
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia