Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sexta-feira, 20 de janeiro de 2017. Atualizado às 09h13.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Mercado Financeiro

20/01/2017 - 10h18min. Alterada em 20/01 às 10h18min

Dólar abre misto, mas se firma em baixa

O mercado de câmbio começou a sessão desta sexta-feira (20), dia da posse do presidente eleito dos Estados Unidos, Donald Trump, com o dólar misto: em leve alta no mercado futuro e em ligeira queda no balcão. O viés negativo, no entanto, se sobressai, na contramão externa, indicando que a cautela pré-Trump já teria sido bem precificada pelo câmbio local, segundo um gerente de gestora de recursos.
O futuro da Operação Lava Jato no Supremo Tribunal Federal (STF) também está no radar dos investidores, após a morte do ministro Teori Zavascki, relator do caso, na quinta-feira (19).
Por volta das 10 horas (de Brasília) desta sexta, o dólar à vista recuava 0,39%, aos R$ 3,1941, enquanto o dólar futuro de fevereiro caía 0,08%, aos R$ 3,2045.
Sobre a Lava Jato, na avaliação da consultoria de risco político Eurasia, a morte de Teori Zavascki pode atrasar o andamento da Lava Jato, mas não deve enfraquecer as investigações. Na quinta, a informação de que o ministro estava no avião que caiu em Paraty, no Rio, pegou os mercados domésticos na última hora de negociação.
A reação mais expressiva foi registrada na Bovespa, que acelerou a queda, mas pontualmente. Na manhã desta sexta, os desdobramentos da operação no Supremo são apenas monitorados.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia