Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 18 de janeiro de 2017. Atualizado às 17h43.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

petróleo

Alterada em 18/01 às 18h45min

Petróleo cai com preocupações sobre produção de xisto nos EUA e dólar forte

Os contratos futuros de petróleo fecharam em queda nesta quarta-feira (18). O mercado foi influenciado pela força do dólar e também pelo temor de que os produtores de xisto dos Estados Unidos possam impulsionar sua oferta, o que contrabalançaria os efeitos do corte da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep).
O petróleo WTI para março fechou em queda de 2,57%, a US$ 51,89 o barril, na New York Mercantile Exchange (Nymex). O Brent para março recuou 2,79%, a US$ 53,92 o barril, na plataforma Ice, em Londres.
No câmbio, o dólar mostrou força durante o pregão, o que torna o petróleo, negociado nesta moeda, mais caro para os detentores de outras divisas. Além disso, a cautela com a produção de xisto dos EUA afetou o quadro e deixou os contratos em território negativo.
A Opep divulgou mais cedo relatório no qual informou que sua produção de petróleo recuou 221 mil barris por dia em dezembro, para 33,08 milhões de barris por dia, após o acordo para reduzir a produção. A meta do cartel é chegar a 32,5 milhões de barris por dia. Por outro lado, os números mostraram aumento na produção da Líbia, de 311 mil barris por dia para 608 mil barris por dia. A Líbia foi excluída do acordo e um avanço constante em sua produção dificultaria o cumprimento da iniciativa.
O fechamento do petróleo ocorreu antes do relatório da API sobre os estoques dos EUA na última semana. Nesta quinta-feira, o Departamento de Energia divulga o dado oficial sobre estoques semanais de petróleo no país. 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia