Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 18 de janeiro de 2017. Atualizado às 17h39.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Trabalho

Alterada em 18/01 às 18h41min

Petrobras propõe ampliar reajuste salarial em troca da redução da jornada

Em reunião realizada na manhã desta quarta-feira (18), com a Federação Única dos Petroleiros (FUP), que reúne a maioria dos sindicatos representantes dos empregados, a Petrobras apresentou proposta de reajuste salarial superior à que vinha sendo negociada como parte do acordo trabalhista de 2016. A empresa propôs aumento de 8,57% retroativo a setembro, data base da categoria. Em contrapartida, quer ter a garantia de que a opção para os funcionários reduzirem a jornada de trabalho, com retração proporcional do salário, será incluída no acordo e passará a valer a partir de abril.
Em comunicado, a companhia diz que considerou o porcentual de reajuste proposto pela federação "equilibrado" e que terá "ganhos significativos" para a empresa com a redução da jornada. "Acredito que chegamos a um bom termo entre as necessidades dos trabalhadores e a situação financeira da empresa, que são os princípios que estão guiando a nossa negociação desde o início", disse o gerente executivo de Recursos Humanos, José Luiz Marcusso, segundo a nota.
A estatal afirma ainda que aguarda posicionamento favorável dos empregados "para tomar as providências para o pagamento do reajuste". Em sua página na internet, a FUP informa que a proposta será discutida pelo conselho deliberativo.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia