Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 17 de janeiro de 2017. Atualizado às 12h03.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

conjuntura internacional

Alterada em 17/01 às 13h07min

Presidente da China defende globalização em Fórum de Davos

O presidente da China, Xi Jinping, ofereceu uma defesa plena da globalização em um momento de incerteza global, que foi alimentado pela decisão do Reino Unido de deixar a União Europeia e pela vitória do republicano Donald Trump nas eleições presidenciais americanas.
"Algumas pessoas culpam a globalização econômica pelo caos em nosso mundo", disse o presidente chinês em um discurso no Fórum Econômico Mundial de Davos, na Suíça. Xi contrariou a visão de que a globalização seria uma vilã e disse que nem a crise dos refugiados e nem a crise financeira internacional foram produto da globalização. Em particular, disse ele, a crise financeira foi consequência da busca pelo lucro excessivo e do "grave fracasso da regulamentação financeira".
Xi Jinping foi o primeiro chefe de Estado da China a participar da reunião em Davos. Durante seu discurso, também repreendeu implicitamente o presidente eleito dos EUA, Donald Trump, que ameaçou impor tarifas à China. "Ninguém vai emergir como vencedor em uma guerra comercial", disse o presidente chinês.
Xi também abordou o acordo climático de Paris, e disse que ele era de extrema importância e responsabilidade para as gerações futuras. A fala vai em direção contrária a Trump, que disse que pretende retirar os EUA do acordo.
Sobre o crescimento econômico da China, Xi disse que ele foi construído à base da indústria chinesa, sob a liderança do Partido Comunista. O presidente chinês também destacou que nenhum poder deve tentar influenciar outros países a seguirem um caminho específico para o desenvolvimento. "O desenvolvimento é do povo, pelo povo e para o povo", afirmou o líder chinês. 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia