Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 16 de janeiro de 2017. Atualizado às 20h39.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Construção Civil

Alterada em 16/01 às 21h39min

Vendas líquidas contratadas da Even caem 49% no 4º trimestre

A Even anunciou nesta segunda-feira (17), suas prévias operacionais do quarto trimestre e do ano de 2016. As vendas líquidas da construtora caíram 49% nos últimos três meses do ano passado, na comparação anual, de R$ 465 milhões para R$ 237 milhões. No acumulado do ano, as vendas líquidas somaram R$ 1,024 bilhão, ante R$ 1,26 bilhão em 2015, queda de 18,7%.
No quarto trimestre, a venda de estoques respondeu por R$ 133 milhões, enquanto a venda de lançamentos somou R$ 104 milhões. A velocidade de venda (VSO) ficou em 9% no período, ante 16% do quarto trimestre de 2015. A VSO de lançamentos caiu de 42% para 25%, enquanto a de estoque de imóveis passou de 11% para 6%.
Entre outubro e dezembro, a Even lançou sete empreendimentos com potencial de venda (VGV) de R$ 413 milhões, valor 9,6% menor que o de 2015. Em 2016, a companhia lançou 19 empreendimentos, com VGV de R$ 1,13 bilhão na parte Even, crescimento de 41%. Dos lançamentos do quarto trimestre, cinco foram realizados no Rio Grande do Sul, um em São Paulo e um no Rio de Janeiro.
Durante o quarto trimestre de 2016, a Even entregou seis projetos que equivalem a R$ 547 em VGV, queda de 16%, e 1.041 unidades. Em 2016, o volume de entregas foi recorde, segundo a Even, chegando a R$ 2,3 bilhões em VGV, avanço de 12% ante 2015, e totalizando 5.433 unidades.
A Even adquiriu quatro novos terrenos nos últimos três meses de 2016 por meio de permuta, com VGV de R$ 377 milhões, valor 51% maior que o registrado no mesmo período de 2015. Já no acumulado do ano, foram 17 novos terrenos com potencial de venda de R$ 1,13 bilhão. O estoque de terrenos da construtora encerrou 2016 com R$ 5,2 bilhões em VGV.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia