Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 16 de janeiro de 2017. Atualizado às 18h23.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Mercado Financeiro

Alterada em 16/01 às 19h24min

Nos EUA, Dólar avança ante libra e euro após perspectiva de 'Brexit duro'

Em um dia de liquidez reduzida nos mercados globais devido ao feriado em homenagem a Martin Luther King nos Estados Unidos, o dólar apresentou alta generalizada ante outras moedas, após três sessões marcadas por um recuo da divisa americana ante seus principais rivais. A exceção foi a relação do dólar com o iene, já que a moeda japonesa apresentou um fortalecimento em relação à divisa dos EUA.
No fim da tarde desta segunda-feira (16), em Nova Iorque, o dólar caía de 114,60 ienes na tarde de sexta-feira para 114,16 ienes; o euro recuava de US$ 1,0644 para US$ 1,0604; e a libra tinha queda de US$ 1,2185 para US$ 1,2045.
A libra esterlina recuou à mínima em três meses ante o dólar após sinalizações da primeira-ministra do Reino Unido, Theresa May, de que a saída britânica da União Europeia pode ser mais dura do que o imaginado anteriormente. Essa perspectiva também pressionou o euro e fez com que o dólar passasse a avançar de forma generalizada, exceto em relação ao iene, que é considerada uma moeda mais segura que outras divisas negociadas.
Em dia de mercados fechados nos Estados Unidos devido ao feriado de Martin Luther King, o dólar acabou dissipando parte das perdas acumuladas nas últimas três sessões. O recuo da divisa americana ocorreu após a primeira entrevista coletiva do presidente eleito dos EUA, Donald Trump, que não detalhou medidas econômicas que pretende implementar em seu governo poucos dias antes da posse.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia