Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 16 de janeiro de 2017. Atualizado às 16h54.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Combustíveis

Alterada em 16/01 às 17h55min

Venda de gasolina, álcool e GNV cai 9,3% em 2016, entre associadas, diz Sindicom

O comércio dos combustíveis automotivos gasolina, álcool e GNV caiu 9,3% em 2016, comparado ao ano anterior, segundo o Sindicato Nacional das Empresas Distribuidoras de Combustíveis (Sindicom), entre elas a BR Distribuidora, a Raízen (união da Shell com a Cosan) e a Ipiranga, líderes de mercado. No ano passado, o grupo de companhias associadas vendeu 91,8 bilhões de litros, informou a entidade em comunicado.
A queda foi puxada pelo álcool hidratado, que teve o comércio reduzido em 26,8% ante o ano anterior, apesar de as vendas do combustível terem subido 18,3% em dezembro, comparado a igual mês de 2015. "Isso se deve ao fato de 2015 ter sido um ano de recuperação para o biocombustível, após cinco anos de quedas consecutivas", informou o Sindicom.
O volume de gás natural veicular (GNV) comercializado no ano também caiu, 3%, considerando a mesma base de comparação. A venda de gasolina, no entanto, teve leve alta, de 0,7%, fechando o ano em 30,4 bilhões de litros. Em dezembro, a alta foi de 14,6% em relação a novembro e de 2,2% ante 2015.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia