Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 16 de janeiro de 2017. Atualizado às 08h39.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Mercado Financeiro

Cobre opera em baixa em meio ao fortalecimento do dólar

Os preços do cobre operam em leve baixa nesta segunda-feira (16) em meio ao fortalecimento do dólar. Na London Metal Exchange (LME), o contrato para três meses recuava 0,20% em Londres, a US$ 5.901 a tonelada por volta das 8h50min (de Brasília). Na Comex, a divisão de metais da New York Mercantile Exchange (Nymex), o cobre para março caía 0,28%, a US$ 2,6825 a libra-peso, às 9h11min.

Os preços do cobre apresentaram um amplo rali nos últimos meses com a esperança de que o crescimento econômico em todo o mundo impulsionasse a demanda pelo metal industrial. Mas um dólar mais forte tem sido um vento contrário para o cobre e outras commodities que são negociadas na moeda americana, tornando-se mais caras para detentores de outras moedas à medida que o dólar sobe.

Nesta segunda-feira, o índice do dólar Wall Street Journal, que mede o dólar contra outras 16 moedas, subiu 0,40%.

Analistas dizem que o nível psicologicamente importante de US$ 5.900 por tonelada é um teste para a força do rali do cobre.

"Os preços dos metais estão começando a nova semana de negociação ligeiramente para baixo, no entanto o cobre está se mantendo em torno de US$ 5.900 por tonelada", disse analistas do Commerzbank.

Entre os demais metais negociados na LME, o chumbo subia 0,8%, a US$ 2.307,50 a tonelada; o níquel recuava 0,9%, a US$ 10.310 a tonelada; o zinco baixava 0,1%, a US$ 2.787 a tonelada; o estanho operava estável a US$ 21.125 a tonelada, e o alumínio subia 0,1%, a US$ 1.814 a tonelada.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia