Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 16 de janeiro de 2017. Atualizado às 07h13.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Mercado Financeiro

16/01/2017 - 08h14min. Alterada em 16/01 às 08h17min

Bolsas europeias caem, à espera de plano de Brexit e antes da posse de Trump

As bolsas europeias operam em baixa na manhã desta segunda-feira (16), à espera de mais detalhes sobre o plano para a retirada do Reino Unido da União Europeia (o chamado "Brexit") e em clima de cautela antes da posse do presidente eleito dos EUA, Donald Trump.
Segundo o jornal The Sunday Times, a primeira-ministra britânica, Theresa May, dirá em discurso amanhã que o Brexit será "limpo e duro", o que ajuda a pressionar a libra esterlina, que durante a madrugada chegou a ser negociada abaixo de US$ 1,20 pela primeira vez desde outubro do ano passado.
Trump, que toma posse na sexta-feira (20), decepcionou em entrevista coletiva na semana passada, ao não revelar detalhes de seus planos para a economia.
A agenda de indicadores da Europa de hoje é fraca e traz apenas a balança comercial de novembro, que será divulgada logo mais, às 8h (de Brasília).
Como hoje é feriado em homenagem a Martin Luther King nos EUA, os mercados locais não vão operar, o que tende a comprometer a liquidez nas praças europeias.
Às 7h49min (de Brasília), a Bolsa de Londres tinha queda marginal de 0,04%, enquanto Paris recuava 0,54% e Frankfurt caía 0,51%. Entre mercados europeus considerados periféricos, Madri, Milão e Lisboa tinham perdas de 0,88%, 0,98% e 0,54%, respectivamente. No mercado de câmbio, a libra se enfraquecia a US$ 1,2062, de US$ 1,2185 no fim da tarde de sexta-feira, e o euro cedia a US$ 1,0595, de US$ 1,0644 na sexta.
Apesar do viés negativo no continente europeu, em meio ao fraco desempenho de ações de bancos e de seguradoras, o destaque no noticiário corporativo é o anúncio da fusão da francesa Essilor com a italiana Luxottica, que criará uma gigante da indústria de óculos com valor de mercado em torno de 46,3 bilhões (US$ 49,16 bilhões). As ações da Essilor e da Luxottica saltavam cerca de 13,4% e 8% nos negócios da manhã.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia