Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 12 de janeiro de 2017. Atualizado às 16h35.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Energia

Alterada em 12/01 às 17h37min

Consumo de energia nos primeiros 10 dias de 2017 sobe 0,4%

O consumo de energia elétrica entre os dias 1º e 10 de janeiro de 2017 no Sistema Integrado Nacional (SIN) chegou a 60.145 MW médios, um aumento de 0,4% na comparação com o período entre 3 e 12 de janeiro de 2016, de acordo com a Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE).
A entidade destaca que, no mercado cativo, houve queda de 2,5% no consumo de energia entre os intervalos, enquanto no ambiente livre de contratação foi registrado aumento de 10,3% no consumo.
Ao analisar os ramos da indústria separadamente, os dados da CCEE mostram que a maior alta foi registrada no setor de comércio, que teve um aumento de 104,4% no consumo de energia elétrica no período - em sequência, aparecem saneamento (+77,8%) e serviços (72,1%). Segundo a entidade, os índices foram influenciados pela migração dos consumidores para o mercado livre.
Do ponto de vista da geração de energia, a câmara informa que foram entregues 63.874 MW médios nos primeiros dez dias desse ano, um crescimento de 2,1% em relação ao intervalo entre 3 e 12 de janeiro do ano passado.
Segundo a CCEE, houve aumento de 115,8% na produção das usinas eólicas no período, enquanto a geração térmica recuou 34,2% na mesma base de comparação. Já as usinas hidráulicas tiveram aumento de 7,8% na produção de energia.
A entidade ainda estima que as usinas hidrelétricas integrantes do Mecanismo de Realocação de Energia (MRE) irão gerar, em janeiro, o equivalente a 96,2% de suas garantias físicas, ou 51.262 MW médios em energia elétrica, mesmo porcentual quando é considerada a repactuação do risco hidrológico.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia