Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sexta-feira, 06 de janeiro de 2017. Atualizado às 15h07.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Mercado Financeiro

06/01/2017 - 16h08min. Alterada em 06/01 às 16h08min

Bolsas da Europa fecham em leve alta, mas com baixos volumes em negociação

As bolsas europeias fecharam na maioria em alta nesta sexta-feira (6), no encerramento de uma semana ainda marcada pelos volumes mais baixos em negociação. Os índices chegaram a operar em queda mais cedo, mas se recuperaram ao longo do dia, embora sem muito fôlego.
O índice pan-europeu Stoxx 600 fechou em queda de 0,06% (0,22 pontos), em 365,42 pontos. Na semana, o Stoxx 600 teve alta de 1,11%.
Na agenda de indicadores do continente, as vendas no varejo da zona do euro recuaram 0,4% em novembro na comparação com outubro, ante expectativa de queda de 0,6% dos analistas. Na comparação anual, as vendas avançaram 2,3%. Já o sentimento econômico da zona do euro subiu de 106,6 em novembro para 107,8 em dezembro, no maior patamar desde março de 2011 e acima da previsão de 106,9.
Na Bolsa de Londres, o índice FTSE-100 fechou em alta de 0,20%, em 7.210,05 pontos. Na semana, o FTSE-100 subiu 0,94%. A ação do Lloyds ganhou 1,93%, após o Barclays melhorar a avaliação sobre o papel. BAE Systems se destacou e avançou 2,98%, após a notícia da quinta-feira de que ela ganhou um contrato de US$ 49 milhões com as Forças Armadas norte-americanas. A petroleira BP, por sua vez, caiu 0,54%.
Em Frankfurt, o índice DAX avançou 0,12%, para 11.599,01 pontos. Na comparação semanal, o DAX avançou 1,03%. Entre os bancos, Deutsche Bank subiu 1,13% e Commerzbank, 0,19%. No setor de energia, E.ON caiu 0,79%. Lufthansa recuou 3,1%, após o UBS piorar a recomendação do papel.
O índice CAC-40, da Bolsa de Paris, fechou com ganhos de 0,19%, em 4.909,84 pontos. Na semana, o CAC-40 avançou 0,98%. O banco Société Générale subiu 0,51% e Crédit Agricole avançou 0,04%, enquanto BNP Paribas teve ganho de 0,43%. Sanofi, contudo, teve queda de 2,02%, após juízes federais dos EUA decidirem que a companhia e sua parceira Regeneron Pharmaceuticals infringiram a patente de um remédio para o colesterol.
Na Bolsa de Milão, o FTSE-MIB subiu 0,23%, para 19.687,71 pontos. O FTSE-MIB avançou 2,36% na semana. No setor bancário, Intesa Sanpaolo caiu 0,55% e Banco BPM avançou 2,76%, enquanto UniCredit teve alta de 0,28%. A companhia Eni, do setor de energia, teve alta de 0,51%.
Em Madri, o IBEX-35 fechou em alta de 0,29%, para 9.515,90 pontos. O IBEX-35 ganhou 1,75% na comparação semanal. Urbas Grupo Financiero teve o pior desempenho, com baixa de 6,25%, mas Banco de Sabadell avançou 1,17%, Mapfre subiu 0,17% e Repsol, 0,15%.
Já na Bolsa de Lisboa o índice PSI-20 foi na contramão dos demais e caiu 0,39%, para 4.702,97 pontos. Na semana, o PSI-20 avançou 0,51%. Nesta sexta-feira, o papel do Banco Comercial Português teve queda de 1,20% e o da Altri, de 0,53%.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia