Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 04 de janeiro de 2017. Atualizado às 19h50.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

mercado financeiro

Alterada em 04/01 às 20h51min

Bolsas de Nova Iorque fecham em alta apoiadas por ganhos de montadoras

As bolsas de valores dos Estados Unidos fecharam a segunda sessão do ano em alta, em meio ao otimismo dos investidores no começo do ano, apoiadas por dados positivos no país e pelo bom desempenho de montadoras, que divulgaram resultados melhores que o esperado.
No fim da tarde desta quarta-feira, 4, em Nova Iorque, o índice Dow Jones fechou em alta de 0,30%, aos 19.942,16 pontos, aproximando-se da marca psicológica dos 20 mil pontos. O S&P 500 subiu 0,57%, para 2.270,75 pontos, e o Nasdaq avançou 0,88%, para 5.477,01 pontos.
Os ganhos das ações de empresas de consumo impulsionaram os índices ao passo em que os investidores se mantêm cautelosamente otimistas com o começo do ano. Os mercados acionários avançaram fortemente desde a vitória de Donald Trump nas eleições presidenciais de novembro. Muitos investidores esperam que o republicano impulsione o crescimento econômico do país, ao cortar impostos, recuar de regulamentações e aumentar os estímulos fiscais.
Os investidores avaliam agora se as bolsas podem continuar a subir com variações a níveis altos, ao passo em que os bancos centrais recuam do apoio aos mercados. Esses fatores estão sendo considerados em meio a uma recuperação do ímpeto econômico, com os analistas prevendo robustos ganhos corporativos.
"Estamos moderadamente otimistas com 2017 como um todo", disse Supriya Menon, estrategista da Pictet Asset Management. "Teremos uma pressão negativa" nas ações por causa do recuo dos bancos centrais, no entanto, a aceleração da macroeconomia deve continuar, acrescentou.
As ações de consumo discricionário conduziram os ganhos de hoje, subindo 1,33%. A GM viu seus papéis avançarem 5,52% e a Ford Motor ganhou 4,61% após divulgarem resultados de vendas melhores que o esperado para dezembro. Também no terreno positivo, as ações da Kohl avançaram 0,39%, as da Gap subiram 3,11% e a Nike ganhou 2,12%.
Os índices também encontraram apoio na notícia de que o índice de condições empresariais da região de Nova York subiu de 52,5 em novembro para 63,8 em dezembro, maior alta em 14 meses, informou hoje a divisão de Nova York do Instituto para Gestão de Oferta (ISM, na sigla em inglês).
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia