Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 04 de janeiro de 2017. Atualizado às 08h05.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Mercado Financeiro

04/01/2017 - 09h09min. Alterada em 04/01 às 09h09min

Yuan contraria BC chinês e fecha em alta ante o dólar

O yuan fechou em alta ante o dólar nesta quarta-feira (4), contrariando o Banco do Povo da China (PBoC, na sigla em inglês), que havia orientado a moeda ao menor nível em oito anos e meio através de uma taxa de referência diária que baliza os negócios no câmbio.
No encerramento da sessão em Xangai, o dólar estava em 6,9485 yuans, abaixo dos 6,9557 yuans do fim das transações de ontem.
O PBoC estabeleceu a taxa de paridade de hoje em 6,9526 yuans por dólar - o patamar mais fraco para a moeda chinesa desde 21 de maio de 2008 -, ante 6,9498 yuans na sessão anterior.
Pelas regras do BC chinês, o yuan pode variar até 2% diariamente, para cima ou para baixo, em relação à taxa de paridade.
No chamado mercado offshore, em Hong Kong, a moeda da China chegou a atingir hoje o maior nível desde 15 de dezembro, com o dólar a 6,9189 yuans, segundo dados da Thomson Reuters. Com isso, o yuan se recuperou em Hong Kong, onde havia tocado ontem nova mínima histórica, a 6,9872 yuans por dólar. O yuan começou a ser negociado fora da China continental em 2010.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia