Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 03 de janeiro de 2017. Atualizado às 19h24.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

mercado financeiro

Alterada em 03/01 às 20h26min

Dólar avança em Nova Iorque ante rivais impulsionado por dados positivos dos EUA

O dólar mostrou força ante seus principais rivais nesta terça-feira (3), valorizando-se após a divulgação de dados que mostraram um fortalecimento da economia americana.
No fim da tarde em Nova Iorque, o dólar subia de 117,61 ienes na tarde de ontem para 117,68 ienes; o euro recuava de US$ 1,0479 para US$ 1,0408; e a libra caía de US$ 1,2286 para US$ 1,2235.
Dados da economia americana impulsionaram a divisa americana nesta terça-feira. O índice de gerentes de compras (PMI, na sigla em inglês) de dezembro subiu a 54,3, no maior nível em 21 meses, de acordo com a Markit. Já o índice de atividade industrial do ISM subiu a 54,7 em dezembro, acima da previsão de 53,6. Por sua vez, os investimentos em construção nos EUA avançaram 0,9% em novembro na comparação com outubro, ante previsão de alta de 0,5%.
"O rali do dólar está sendo impulsionado pelas enormes expectativas dos investidores de que a economia dos EUA acelere ainda mais sob a liderança de Donald Trump", disse Boris Schlossberg, diretor de estratégia na BK Asset Management. Já Neil Mellor, estrategista-chefe de moedas do Bank of New York Mellon, afirmou que "as duas últimas semanas de dezembro foram uma pausa no rali do dólar, mas os investidores continuam a apostar em uma moeda americana mais forte em 2017".
Já o peso mexicano recuou com a decisão da Ford de cancelar a construção de uma fábrica em San Luis Potosi ao custo de US$ 1,6 bilhão. Segundo operadores do mercado, a decisão sublinha o risco de declínio do investimento estrangeiro no país após a eleição de Trump, um forte crítico da decisão da Ford de construir outra fábrica no México. Com isso, o dólar avançou a 21,1127 pesos mexicanos, de 20,7503 pesos mexicanos na tarde de ontem.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia