Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 03 de janeiro de 2017. Atualizado às 16h44.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

empresas

Alterada em 03/01 às 17h44min

Fibria encerra captação de R$ 1,25 bilhão por meio de CRAs

A Fibria informou nesta terça-feira ter encerrado a operação de emissão de Certificados de Recebíveis do Agronegócio (CRA), que contou com a subscrição e a integralização do valor total de R$ 1,25 bilhão.
A empresa confirmou que foram emitidas duas séries desses títulos. Uma série com vencimento em 2022, volume de R$ 755,771 milhões e taxa de 99% do CDI; e uma série com vencimento em 2023, volume de R$ 494,229 milhões e taxa de IPCA + 6,1346% ao ano. A emissão do CRA teve como lastro notas de crédito à exportação (NCEs) devidas pela companhia.
"Finalizamos nossa quarta operação de CRA e atingimos um volume de captação expressivo no mercado, o que mostra que a confiança dos investidores na Fibria continua em alta. Seguimos capitalizados e com o caixa robusto para 2017", afirmou, em nota, o diretor de Finanças e Relações com Investidores da companhia, Guilherme Cavalcanti.
A captação tem como objetivo financiar as atividades da Fibria vinculadas ao agronegócio, assim como a produção e a comercialização no âmbito do programa de exportação da celulose da empresa. A emissão do CRA da Fibria foi coordenada pelos bancos Itaú BBA, Bradesco, Banco do Brasil, Banco Votorantim e Santander e classificada com o rating brAAA pela agência de riscos Standard & Poor's (S&P).
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia