Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 03 de janeiro de 2017. Atualizado às 11h04.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Mercado Financeiro

03/01/2017 - 12h06min. Alterada em 03/01 às 12h06min

DIs abrem em viés de alta com ajuste e Treasuries

No mercado de juros, as taxas futuras exibem viés de alta na manhã desta terça-feira (3), na contramão do desempenho da véspera. Há pouco, o DI para janeiro de 2018 estava em 11,46%, ante 11,45% no ajuste anterior. O DI para janeiro de 2019 marcava 11,00%, de 10,97%, enquanto na ponta mais longa o vencimento para janeiro de 2021 exibia 11,24% de 11,21%. Segundo operadores, os ajustes em baixa refletem uma correção ao movimento da véspera, mas as taxas também sofrem influência do avanço dos rendimentos dos Treasuries.
Os juros dos Treasuries registram alta considerável antes de dados importantes nos Estados Unidos hoje, como os indicadores de indústria medidos pela Markit, citado acima, e pelo ISM, e diante da expectativa com o relatório de emprego, o payroll, que será conhecido na sexta-feira. Além disso, a alta de mais de 2% do petróleo contribui para os ganhos.
Diante do avanço dos preços da commodity, a tendência é a inflação acelerar e, consequentemente, aumentar pressão para o Federal Reserve elevar os juros neste ano. Há pouco, o retorno da T-Note de 2 anos subia a 1,230% e o da T-Note de 10 anos avançava a 2,513%.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia