Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 18 de janeiro de 2017. Atualizado às 11h39.

Jornal do Comércio

Colunas

COMENTAR | CORRIGIR
Fernando Albrecht

Começo de Conversa

Notícia da edição impressa de 18/01/2017. Alterada em 18/01 às 09h16min

Mundo cão

Cães se refrescam no esgoto a céu aberto em Capão da Canoa

Cães se refrescam no esgoto a céu aberto em Capão da Canoa


BETO RODRIGUES/DIVULGAÇÃO/JC
Se existe uma chaga praiana que todos fazem questão de não enxergar é o esgoto jogado in natura na praia. Em alguns casos, é o pluvial misturado com sujeiras diversas provindas da atividade urbana. Em outros, é mistura de pluvial com cloacal. Nem precisa dizer qual a praia, é imagem recorrente em quase todas no Rio Grande do Sul. É assim que se ajuda a poluir um oceano. Com o forte calor, os cachorros curtem a água imunda.

Anormal normal

Se alguém perguntar para comerciantes veteranos se enxergam alguma luz nos próximos meses, a resposta é um menear de cabeça. Eles sabem que, para voltar à normalidade, vai ter que passar muita água debaixo do moinho e que a junção de renda baixa, reajustes dos preços e temor de desemprego, tudo adia o "agora vai". Empate é lucro, conformam-se, contando nos dedos os conhecidos que fecharam seus negócios.

Zona de guerra

À noite todos os gatos são pardos e o Centro Histórico de Porto Alegre vira terra de ninguém. Cerca das 2h da madrugada de ontem, um homem foi morto a facadas em frente à escadaria que leva à avenida Borges de Medeiros. Testemunhas relataram que quatro pessoas saíram correndo após o crime. Ainda segundo testemunhas, teria sido o mesmo grupo que assassinou um africano no dia 6 na Praça da Matriz.

Os russos das ilhas I

A reportagem do JC de Isabella Sander sobre as dificuldades da segunda ponte sobre o Guaíba reforça o sentimento inicial desta página quando a obra foi anunciada com promessa de conclusão rápida, ainda no governo Dilma Rousseff (PT). Construir a ponte em si é relativamente fácil, mas não combinaram com os quase 2 mil russos que vivem nas ilhas.

Os russos das ilhas II

Boa parte, talvez a maior parte dos moradores, tem seus próprios negócios, da pesca a serviços, pequenas oficinas. Nunca se tratou de uma mera remoção de vilas, sem falar na dificuldade de achar uma área para abrigá-los. Só era fácil para quem acredita em Papai Noel, nos milagres da engenharia e no pensamento positivo.

Boa ação

O Iguatemi Porto Alegre entrou de rijo no movimento de solidariedade para os atingidos pelas inundações que atingiram o Estado no início do mês. Em parceria com a Defesa Civil, o shopping disponibiliza dois pontos para coleta de doações como água potável, alimentos, produtos de higiene e limpeza: em frente às Lojas Renner, e no concierge, na entrada principal da Nilo Peçanha.

Boa ideia

A Celulose Riograndense está disponibilizando na internet seu Portal Ambiental (celuloseriograndense.com.br/portalambiental). É uma ação pioneira, que possibilita que a população tenha acesso, em tempo real, a indicadores como Qualidade de Efluentes e de Emissões de Ar da companhia dos últimos sete dias. Traz ainda diversos links de outras atividades da empresa.

Como se faz?

O secretário estadual de Segurança, Cezar Schirmer (PMDB), pediu ao Ministério da Justiça um controle mais rigoroso das fronteiras. Como se faz um controle rigoroso de uma peneira?

O medo de um gravador

Um repórter esqueceu ontem seu gravador após uma coletiva na Secretaria Estadual dos Transportes, e o equipamento ficou boa parte da tarde em cima da mesa de reuniões da pasta, absorvendo inadvertidamente informações internas. Mais tarde, quando foi pegar o equipamento de volta, qual foi a surpresa do jornalista ao ver que vários arquivos do seu gravador tinham sido apagados. Sigilo e mistério andam de mãos dadas nos bastidores do governo?

O fim da enxada

Dal Pisol, de Tuparendi, resiste à extinção das capinas de enxada
Dal Pisol, de Tuparendi, resiste à extinção das capinas de enxada
DIVULGAÇÃO/JC
A capina como feita pelos agricultores em pequenas propriedades está em extinção, devido à mecanização e êxodo rural. A enxada só é usada ainda em áreas muito pequenas. Sildo José Dal Pisol, 56 anos, de Tuparendi, resiste à extinção. Uma frase sua deve alegrar Clóvis Tramontina. Ele diz que "a enxada Tramontina é a melhor", e que "o melhor veneno para o inço é a Tramontina". Mas o que não corre risco de extinção está na cabeça de Sildo: o chapéu de palha.

Miúdas

PELA primeira vez em 12 anos, as aéreas brasileiras reduziram sua frota em 2016, diz o G1. Pico foi de 750 aeronaves.
NOVO prefeito de Gramado, Fedoca Bertolucci (PDT) recebe 10 pedidos de empregos por dia.
DOS três senadores do PDT, um saiu e outro foi expulso. O terceiro está na berlinda. O último a sair apaga a luz do diretório.
SITE Mundo Português informa que 110 mil portugueses deixaram o país em 2015, última contagem.
PARA brasileiros que quiserem morar em Portugal, o governo oferece algumas vantagens e pouca burocracia.
RECARGA do cartão TRI poderá ser feita por cartões de débito e crédito dentro de 60 dias.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Paulo Tavares 18/01/2017 10h25min
Quanto à matéria Boa ação, desculpe-me, mas se o Iguatemi quisesse realmente fazer uma boa ação, faria uma doação de alimentos ou materiais às vítimas às suas expensas, e não se promovendo às custas da boa vontade alheia! De boas intenções, o inferno já está bem cheio!
NILO REMA SOUZA 18/01/2017 09h12min
Veraneio pertinho da foto apresentada e testemunho que nos finais de semana os esgoto da CORSAN não da vencimento, pois as casas de bomba estão muito longe, vazando os esgoto para as saidas d'agua do pluvial.... as reclamações junto a CORSAN não resolvem, pois eles vem com o caminhão um dias e desaparecem outros tantos... fica o questionamento onde está o Ministério Público de Capão da Canoa sempre tão atuante?