Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 02 de janeiro de 2017. Atualizado às 08h49.

Jornal do Comércio

Colunas

COMENTAR | CORRIGIR
Fernando Albrecht

Começo de Conversa

Notícia da edição impressa de 02/01/2017. Alterada em 02/01 às 09h51min

Entre tapas e beijos

Marcelo G. Ribeiro/JC
Cristão novo na política municipal, o prefeito de Porto Alegre, Nelson Marchezan Júnior (PSDB), terá que dar tratos à bola para ter maioria na colenda. Precisará administrar descontentamentos, frustrações, emplacar projetos vitais para a Capital e comandar sua equipe com pulso firme, mas sem perder a ternura jamais. É jogo duro, mas foi para esse jogo que ele se propôs e foi com ele que se elegeu.

Ajuda externa

É grande o número de baianos que ganham na Mega Sena. Na da Virada, um sortudo de Salvador levou mais de R$ 36 milhões. Neném Prancha, o filósofo do futebol carioca dos anos 1950, dizia que se macumba - genérico para a religião afro daquele tempo - ganhasse jogo o campeonato baiano terminava empatado. Parece não ser o caso das loterias da Caixa.

Pré-requisito

Um levantamento interessante mostra que todos os prefeitos eleitos na Capital desde a redemocratização foram, antes disso, deputados federais. A matéria está na página 16.

Novas ordens

Nunca é demais repetir que o maior tumor da administração pública é a não-continuidade da máquina. Com honoras exceções, todos esperam novas ordens e sepultam de vez as antigas.

As perdidas ilusões

Com raras exceções, os prefeitos que entram sempre dirão que não sabiam que a bronca financeira era tão grande. Da mesma forma o prefeito que sai dirá que fez o que pode e se mais não fez foi porque a crise comeu. E muitos vão dizer a mesma frase depois de ver o caixa baixo e a disputa de cargos pelos aliados: "Mas o por que eu me meti nessa?"

Mário Soares

Ex-presidente de Portugal nos anos 1970 e 1980, Mário Soares, 92 anos, está em coma profundo desde o dia 13 passado. Visitou Porto Alegre muitas vezes por conta da sua amizade com Leonel Brizola, que, na época, criou o movimento "socialismo moreno".

A nuvem da política...

Pouco tempo atrás, o vereador Cassio Trogildo (PTB) esteve em baixa. Foi ameaçado de casssação e de afastamento da presidência da Câmara de Porto Alegre. Depois disso, teve a reeleição questionada, ou seja, poderia ficar sem mandato neste 2017. Nas últimas semanas, Trogildo obteve vitória na Justiça Eleitoral. Mas não era cotado para assumir a presidência da colenda pelo PTB.
 

...e suas mudanças

Tudo mudou quando o vereador Elisandro Sabino (PTB) foi o escolhido para a Secretaria Municipal de Infraestrutura e Mobilidade. Resultado: de candidato a ficar na chuva, Trogildo será o presidente da Câmara por mais este ano. Repetiu o feito de Sebastião Melo (PMDB) que presidiu a Casa por dois anos seguidos, 2008 e 2009. A nuvem da política muda de uma hora para outra, já dizia o deputado Magalhães Pinto.

Crescei e multiplicai-vos

O Ministério da Saúde convoca o cidadão para que no novo ano o combate ao mosquito faça parte da rotina, enumerando os locais e situações em que o aedes cria o seu berçário. São tantos que a pergunta a ser feita é onde o mosquito NÃO pode crescer se se multiplicar.

Miúdas

  • APESAR da segurança máxima um atirador vestido de Papai Noel matou 30 em boate turca.
  • PODE parecer profecia do passado, mas não seria óbvio passar pente finíssimo em todas as pessoas vestidas de Papai Noel?
  • MUITAS lojistas que pretendiam abrir no sábado desistiram já na sexta-feira. Tudo parado.
  • IMAGINEM a cena: um turista desavisado dizendo para a família "vamos passar o Ano Novo em Porto Alegre, tudo deve estar aberto.
  • ANO Novo de um cínico: "O negócio é ter dinheiro. O resto a gente vai atrás".
  • ANO Novo do realista: "O negócio é ter saúde. O resto a gente vai atrás.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia