Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 30 de janeiro de 2017. Atualizado às 14h00.

Jornal do Comércio

Viver

COMENTAR | CORRIGIR

música

Notícia da edição impressa de 20/01/2017. Alterada em 19/01 às 16h08min

Terceira edição do POA Jazz Festival começa nesta sexta-feira

Grupo Mani Padme Trio lançará seu terceiro álbum no POA Jazz

Grupo Mani Padme Trio lançará seu terceiro álbum no POA Jazz


MARIA BIRBA/DIVULGAÇÃO/JC
Luiza Fritzen
O clima das tabernas de jazz toma conta de Porto Alegre com um evento que promete pulsar a cidade. Começa nesta sexta-feira, no Centro de Eventos do BarraShoppingSul (av. Diário de Notícias, 300), a terceira edição do POA Jazz Festival. O evento segue até domingo, com shows a partir das 20h, e traz à Capital músicos nacionais e internacionais do gênero. Os ingressos podem ser adquiridos no site www.blueticket.com.br e nas lojas Multisom pelo valor de R$ 40,00 a R$ 210,00.
Quem abre o festival são os violonistas Paulo Bellinati e Marco Pereira, seguidos pelo duo carioca de baixo e piano Marcos Paiva & Daniel Grajew, que trazem ao Rio Grande do Sul o seu disco Bailado. Em um show inédito pensado especialmente para a ocasião, o trio formado por Rodolfo Stroeter, André Mehmari e Tutty Moreno se apresenta ao lado de Mônica Salmaso com interpretações únicas da obra de grandes compositores brasileiros, como Dorival Caymmi, Tom Jobim e Heitor Villa-Lobos.
No segundo dia, participam o quinteto gaúcho Kula Jazz, Julio Herrlein Quarteto e também o gaúcho Alegre Corrêa Grupo, que se apresenta após um hiato longe do Estado. Quem fecha o repertório no domingo são os paulistas da Mani Padme Trio, lançando seu terceiro álbum, Vôo. Na sequência, o porto-alegrense Jorginho do Trompete e Quarteto, e os argentinos Adrián Iaies e Rodrigo Agudelo, que encerram a programação com o lançamento do disco Como si te estuviese viendo em formato de dueto de piano e guitarra.
A terceira edição do festival estava programada para outubro de 2016, mas foi postergada para janeiro deste ano devido a problemas com o patrocínio do evento. "Achamos melhor transferir para uma data mais próxima de 2016, priorizando o início de 2017 e mantendo a qualidade do festival", explica o curador do POA Jazz Festival, Carlos Badia.
Apesar da mudança de datas, o POA Jazz conseguiu ampliar suas atividades com uma programação paralela que iniciou no começo deste mês. Entre as iniciativas, três palestras sobre temas como jornalismo e produção cultural e o novo cenário musical, shows gratuitos de bandas gaúchas e 10 intervenções "relâmpago". Explorando o braço outdoor do festival, foi realizada uma Homenagem ao Jazz no parque Farroupilha com apresentação de The Brothers Orchestra em celebração aos 80 anos do multi-instrumentista brasileiro Hermeto Pascoal no domingo passado.
O caráter educativo se reafirma em seu terceiro ano. Durante os dias do festival serão realizadas três masterclasses gratuitas no Instituto Goethe (24 de Outubro, 112), sempre às 11h, destinadas ao público que já é músico e tem interesse em aprimorar suas habilidades com grandes instrumentistas.
Na sexta-feira, o contrabaixista Marcos Paiva ensina a técnica do instrumento, abordagem, concepção estética e produção musical. Na manhã de sábado, Paulo Bellinati fala sobre sua experiência com o violão, e, no domingo, Alegre Corrêa traz seu conhecimento sobre guitarra, percepção musical e harmonia funcional.
Um dos projetos futuros do festival é implantar uma escola permanente de música para crianças que funcione durante o ano inteiro. Enquanto os planos não saem do papel, o evento promove 30 oficinas que serão realizadas dentro de escolas públicas e ONGs de Porto Alegre, como a Aldeia da Fraternidade, a ONG Cirandar e a Escola Heitor Villa Lobos.
Com enfoque na iniciação musical, as aulas serão ministradas por músicos e professores do gênero. Para Badia, o conceito que norteia a educação do festival é que as pessoas não têm como gostar do que não conhecem. "Nosso papel é apresentar, principalmente para as crianças, outro estilo de música que não é tão divulgado na grande mídia, mostrar para eles um outro panorama da criação musical", afirma.
O POA Jazz já tem um público cativo - contudo, para o curador, a grande conquista do festival é receber pessoas que não consomem jazz, mas gostam do clima. "Esse intercâmbio entre os amantes naturais do jazz e um novo público é o que faz o festival melhor a cada ano." A quarta edição acontece ainda em 2017 - provavelmente, no fim de novembro. Informações em poajazz.com.br
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia