Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, domingo, 05 de fevereiro de 2017. Atualizado às 17h27.

Jornal do Comércio

Empresas & Negócios

COMENTAR | CORRIGIR

Opinião

Notícia da edição impressa de 06/02/2017. Alterada em 03/02 às 18h20min

Pagamentos com carteira digital representam a próxima etapa da economia

Marcos Abellón é diretor geral da W5 Solutions

Marcos Abellón é diretor geral da W5 Solutions


W5 SOLUTIONS/DIVULGAÇÃO/JC
Marcos Abellón
Realizar pagamentos através do seu smartphone é uma realidade que está cada vez mais próxima para os brasileiros. Hoje, o uso de dispositivos mobile já não é uma novidade. As pessoas perderam o medo de utilizar aplicativos de bancos e fazem pagamentos e transferências através destes apps. Segundo a Pesquisa Febraban de Tecnologia Bancária 2015 - realizada pela Deloitte - o número de transações realizadas via smartphone cresceu 138%, passando de 4,7 bilhões para 11,2 bilhões em apenas um ano. Em contrapartida, o número de transações realizadas nas agências caiu de 4,9 bilhões para 4,4 bilhões.
O brasileiro está se rendendo para a facilidade de se ter uma agência no seu smartphone. Muitos bancos já investem em contas e cartões digitais para atrair um público mais jovem, que nasceu já na era digital. Para essas pessoas, o natural é jamais esquecer o smartphone em casa, e não a carteira. O aparelho passou a ser sua identidade, sua memória, sua conexão com o mundo. Para virar o meio de pagamento oficial, basta apenas que as empresas invistam mais nessa tecnologia. Usuários interessados não faltam.
CONTINUE LENDO ESTA NOTÍCIA EM NOSSA EDIÇÃO PARA FOLHEAR
CLIQUE AQUI PARA ACESSAR
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia