Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 28 de dezembro de 2016. Atualizado às 21h48.

Jornal do Comércio

Política

COMENTAR | CORRIGIR

Municípios

Notícia da edição impressa de 29/12/2016. Alterada em 28/12 às 21h02min

Famurs cobra regularização de repasses da saúde aos municípios

A direção da Federação das Associações de Municípios (Famurs) esteve reunida ontem com o secretário-adjunto da Saúde do Rio Grande do Sul, Francisco Paz. No encontro, os representantes da federação cobraram que o Estado regularize o repasse de recursos aos municípios. A entidade estima que a dívida do Piratini com as prefeituras na área da saúde seja de R$ 330 milhões. O valor corresponde a débitos de 2014, 2015 e 2016. "A situação é séria. Queremos ver o que pode ser feito para minimizar as dificuldades dos prefeitos", explicou o presidente da Famurs, Luciano Pinto (PDT). Paz não sinalizou quando as prefeituras serão pagas, e sugeriu que não há perspectiva de resolver a questão totalmente. Durante o encontro, também foi solicitado que o Estado forneça um relatório com quanto cada município tem a receber por projeto pactuado com a Secretaria da Saúde. "As prefeituras precisam do detalhamento, da informação discriminada por programa para o fechamento de contas", alegou o assessor técnico da Área de Saúde da Famurs, Paulo Azeredo Filho.
 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia