Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 19 de dezembro de 2016. Atualizado às 16h10.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Reestruturação do Estado

19/12/2016 - 14h07min. Alterada em 19/12 às 14h14min

Em dia de votação, servidores realizam ato em frente à FEE

Servidores da FEE e outras fundações ameaçadas de extinção protestaram no local

Servidores da FEE e outras fundações ameaçadas de extinção protestaram no local


FREDY VIEIRA/JC
Leticia Bay
Em protesto contra o Projeto de Lei (PL) 246, que será votado na Assembleia Legislativa do Rio Grande do Sul, nesta segunda-feira (19), servidores da Fundação de Economia e Estatística (FEE) realizaram um abraço simbólico em frente ao prédio onde fica a sede da FEE.
Representantes das outras fundações, também ameaçadas de extinção, como como a Fundação Piratini (TVE e FM Cultura), Fundação de Ciência e Tecnologia (Cientec), FZB/RS - Fundação Zoobotânica do Rio Grande do Sul, Fundação para o Desenvolvimento de Recursos Humanos (FDRH) e Fundação Estadual de Planejamento Metropolitano e Regional (Metroplan), também protestaram no local.
O grupo começou a concentração às 10h, antes da coletiva que divulgou os dados da Pesquisa de Emprego e Desemprego na Região Metropolitana de Porto Alegre (PED-RMPA) para o mês de novembro. O ato teve início às 11h, com manifestações políticas contra o governador José Ivo Sartori, apitaços, cornetas e cartazes, que pediam pela não aprovação do projeto. Representantes das fundações e de sindicatos fizeram discursos da sacada do prédio.
Para a coordenadora técnica do Sistema Pesquisa de Emprego e Desemprego do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese), Lúcia Garcia, essa extinção fere princípios da Organização Internacional do Trabalho, portanto ela não significa o desligamento desses funcionários, conforme o governo tem anunciado. Ela ressalta que há também um movimento do Ministério Público do Trabalho, questionando a desinformação que está na base da tentativa de aprovação desse pacote. “Há uma grande mobilização e inclusive uma possibilidade de retirada desse projeto”, destaca a economista.
Representantes da Central Única dos Trabalhadores (CUT) também participaram da manifestação. Claudir Nespolo, presidente da CUT-RS, destaca que a fundação faz um estudo fundamental que é suporte para várias políticas públicas do Estado. “Nós não temos dúvidas de que esse trabalho que as fundações fazem, vai continuar sendo feito por empresas terceirizadas”, ressalta. “Estamos debatendo com os deputados, muitos não concordam com a visão do governo. Vamos para essa votação para gritar contra o ataque e desmonte do estado”, completa.
A votação está marcada para às 14h.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Mirco Loureiro 19/12/2016 17h02min
Querem apoio à sua causa, mas não tem o mínimo respeito com os outros. Fizeram uma gritaria e buzinaço a menos de uma quadra da Santa Casa onde centenas de doentes agonizam. Espero que sejam todos demitidos.