Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 13 de dezembro de 2016. Atualizado às 10h35.

Jornal do Comércio

Política

COMENTAR | CORRIGIR

investigação

Alterada em 13/12 às 11h35min

Polícia Federal faz operação contra suspeitos de desviar recursos de construção de museu

Agência Brasil
A Polícia Federal (PF) e a Controladoria-Geral da União (CGU) deflagraram nesta terça-feira (13) operação contra suspeitos de desviar recursos da construção do Museu do Trabalho em São Bernardo do Campo, na Grande São Paulo. Foram expedidos 32 mandados pela 3ª Vara Federal de São Bernardo do Campo, sendo oito de prisão temporária, oito de condução coercitiva e 16 de busca e apreensão. As ações ocorrem, além do próprio município, em São Paulo, Santos (SP), Barueri (SP), no Rio de Janeiro e Distrito Federal.
A CGU estima que R$ 13 milhões foram desviados das obras do museu, projeto feito em parceria pela prefeitura de São Bernardo e o governo federal. A controladoria diz ter encontrado diversas irregularidades na execução do contrato, como falhas na licitação, terceirização irregular, superfaturamento e pagamento por serviços não executados.
Há ainda indícios de que a prefeitura fraudou informações do Sistema Oficial de Convênios do Governo Federal e fez alterações não autorizadas no projeto, aumentando os custos da obra. Segundo a CGU, o esquema envolve empresários e agentes públicos.
A construção do museu foi iniciada em 2012. Inicialmente previstos para durar nove meses, os trabalhos ainda não foram concluídos e estão paralisados. O convênio celebrado entre o Ministério da Cultura e a prefeitura de São Bernardo soma um total de R$ 21,6 milhões. Desse montante, foram repassados R$ 11,1 milhões do Fundo Nacional da Cultura.
A Polícia Federal vai dar mais detalhes da Operação Hefesto em uma entrevista coletiva às 14h30min de hoje.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia