Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, domingo, 11 de dezembro de 2016. Atualizado às 13h44.

Jornal do Comércio

Política

COMENTAR | CORRIGIR

Governo federal

11/12/2016 - 11h12min. Alterada em 11/12 às 14h49min

Cresce reprovação a Temer, e 63% dos brasileiros querem renúncia, aponta Datafolha

Para fazer nova eleição, Temer teria de renunciar até 31 de dezembro, segundo a Constituição

Para fazer nova eleição, Temer teria de renunciar até 31 de dezembro, segundo a Constituição


EVARISTO SA/AFP/JC
Pesquisa do instituto Datafolha, divulgada neste domingo (11) pelo jornal Folha de S. Paulo, aponta que 63% da população brasileira é favorável à renúncia do presidente Michel Temer (PMDB) ainda em 2016 para que haja eleição direta. O Datafolha ainda aponta queda na popularidade de Temer, que recebeu 51% de avaliação ruim e péssima para seu governo, frente a 31% em julho. A taxa que queria a saída repete a marca de julho.
Um detalhe importante é que a pesquisa foi aplicada nos dias 7 e 8 deste mês, portanto antes das revelações contidas no anexo da delação premiada acertada por um dos ex-diretores da Odebrecht. O documento que vazou na noite dessa sexta-feira (9) aponta pedidos de doações feitos por Temer, ministros, ex-ministros, integrantes da Câmara e Senado e partidos.  
Ainda sobre a continuidade ou não do presidente, o levantamento mostra que 27% dos entrevistados são contrários à saída, 6% se declararam indiferentes e 3% não souberam responder. O jornal lembra que para que seja feita nova eleição direta para um presidente com mandato-tampão seria necessário que Temer deixasse o cargo até 31 de dezembro. O artigo 81 da Constituição Federal diz que um novo pleito direto deve ser convocado em 90 dias se os cargos de presidente e vice-presidente ficarem sem titulares, informou o jornal.
"Do contrário, a eleição é indireta", observa a reportagem. "Ocorrendo a vacância nos últimos dois anos do período presidencial, a eleição para ambos os cargos será feita 30 dias depois da última vaga, pelo Congresso Nacional", orienta a Constituição. O Datafolha ouviu 2.828 pessoas de 16 anos ou mais. A margem de erro é de dois pontos percentuais para mais ou para menos.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia