Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, domingo, 11 de dezembro de 2016. Atualizado às 21h49.

Jornal do Comércio

Política

COMENTAR | CORRIGIR

Prefeitura de Porto Alegre

Notícia da edição impressa de 12/12/2016. Alterada em 11/12 às 22h03min

Marchezan anuncia secretariado nesta semana

Prefeito eleito quer um "banco de talentos" com nomes da sociedade civil interessados em trabalhar na gestão

Prefeito eleito quer um "banco de talentos" com nomes da sociedade civil interessados em trabalhar na gestão


JC
Marcus Meneghetti
O prefeito eleito Nelson Marchezan Júnior (PSDB) pretende governar a prefeitura de Porto Alegre com 15 secretarias. No levantamento apresentado em coletiva de imprensa na sexta-feira, apontou que existem hoje 37 órgãos municipais com status de primeiro escalão. Marchezan afirmou que pretende anunciar o nome de alguns secretários hoje.
"Alguns nomes do secretariado serão anunciados a partir desta segunda-feira (hoje). Tenho certeza que muitos nomes de excelência virão dos partidos aliados. Mas eles têm que preencher os requisitos de competência. Não houve divisão de espaços no governo", disse o prefeito eleito.
Entre os requisitos de "competência", segundo o próprio tucano, estão a comprovação de ficha limpa, o compromisso e garantia do cumprimento das metas e a especialização na área de atuação. Além das indicações dos aliados, o governo eleito pretende abrir um "banco de talentos" online, para receber inscrições de cidadãos interessados em trabalhar na gestão do tucano.
Para se candidatar a um cargo estratégico - como secretário, subsecretário, diretor de empresa pública ou autarquia, assessor técnico, entre outros - é necessário ser especializado na área em que pretende atuar, de preferência com formação superior; ter experiência na atividade fim, seja em gestão pública ou privada; ter referências profissionais; além dos requisitos de idoneidade. 
"(Exigindo todos esses requisitos) é claro que não vamos conseguir preencher todos os cargos, já em janeiro. Mas isso vai facilitar a vida dos partidos políticos. E esses critérios vão ser importantes para alcançarmos os resultados e profissionalizarmos a administração pública", avaliou Marchezan, acrescentando que os membros do primeiro escalão vão poder escolher seus subordinados, desde que eles preencham os requisitos.  
A redução da máquina pública foi uma das principais propostas de campanha de Marchezan, assim como a diminuição do número de cargos de confiança (CCs) e funções gratificadas (FGs). Entretanto, em relação aos CCs e FGs,  o tucano disse que não tem um "número cabalístico" de quanto vai ser cortado, nem sabe quanto vai ser economizado com a diminuição da administração.
Na coletiva, Marchezan criticou ainda o projeto encaminhado pela prefeito José Forunati (PDT) à Câmara Municipal, prevendo o parcelamento em três vezes do 13º salário, a partir de maio do ano que vem. "Na nossa avaliação, é ilegal e inconstitucional, porque cria despesa para a a próxima gestão, sem previsão no orçamento", alegou o tucano.

Autarquias e empresas perdem status de secretaria

A reforma administrativa anunciada pelo prefeito eleito Nelson Marchezan Júnior (PSDB) na sexta-feira prevê 24 órgãos na administração municipal a partir de 2017, contando com 15 secretarias. Entretanto, as cinco autarquias, três empresas públicas e uma fundação perderão o status de secretarias (hoje, o prefeito eleito conta 37 órgãos com esse poder), pois serão incorporadas às outras pastas. Veja como fica:
pageitem_11_12_16_22_02_37_pg_17.jpg
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia